Setor Privado: Dissídio Coletivo 2013/2014 é retirado da pauta de julgamento no TST

41 2174

 

Como já noticiamos anteriormente, o recurso ordinário de autoria do SEPRORGS não foi a julgamento na data de 11 de Maio. A relatora do processo, ministra Dora Maria da Costa, encaminhou a retirada do processo da pauta de julgamento, a partir de petição encaminhada pela Assessoria Jurídica do Sindppd/RS, para apurar nulidades ocorridas na fase anterior, quando o processo tramitava no Tribunal Regional do Trabalho/TRT4.

O encaminhamento da ministra foi acatado pelos demais integrantes da SDC/Seção Especializada em Dissídios Coletivos do TST. Ela também concedeu o prazo de 8 dias para que o Sindppd/RS apresente as suas contrarrazões ao recurso ordinário do SEPRORGS. O andamento do processo pode ser acompanhado em: http://www.tst.jus.br/ pelo número de processo: 20416-65.2014.5.04.0000

 

Qual foi a nulidade alegada pelo jurídico do Sindppd/RS? O sindicato não foi intimado para apresentar as contrarrazões ao recurso ordinário do SEPRORGS (quem foi intimado foi o próprio sindicato patronal, por meio de seu advogado), ou seja, não tivemos a oportunidade de manifestar-nos sobre as alegações apresentadas pela parte contrária, o que agora está sendo corrigido. Vencida esta etapa, ou seja, após apresentarmos nossas contrarrazões, a relatora do processo avaliará nossa manifestação e encaminhará novamente para inclusão na pauta de julgamentos da SDC, que acontece uma vez a cada mês.

 

Emenda Constitucional 45/2004 – Uma rota de fuga para o SEPRORGS

O recurso ordinário do SEPRORGS, dentre outras questões, questiona o julgamento do TRT4/Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região no que se refere à concessão do aumento real de 1% e o reajuste de 5,6% (o INPC do período foi de 5,58%). Para isso, a entidade patronal informa ao TST que não houve o comum acordo entre as partes (SEPRORGS e Sindppd/RS) para o ajuizamento do Dissídio Coletivo, conforme determina a Emenda Constitucional 45/2004 (art. 114 § 2° da Constituição Federal).

No entanto, essa atitude do SEPRORGS contraria o compromisso firmado pela entidade patronal, que estabelece um acordo tácito (subentendido, implícito) entre as partes para o ajuizamento de Dissídio Coletivo, conforme estabelecido pela Cláusula 74ª da Convenção Coletiva de Trabalho 2011/2013 da categoria, como segue:

CLÁUSULA 74 – PRORROGAÇÃO
Enquanto não forem revogadas ou suprimidas em instrumento coletivo entre as partes, ou até que haja julgamento do processo de dissidio coletivo, independentemente da interposição de recurso, as cláusulas aqui previstas vigorarão entre as partes, não sendo, nestas hipóteses, incorporadas aos contratos de trabalho.”

Este mesmo sindicato patronal que parece – para quem não o conhece – que negocia à exaustão, concretamente nada faz para o avanço do processo negocial, apostando objetivamente para que o impasse esteja permanentemente instalado (não alterou sua proposta, desde o início da campanha salarial), e ainda lança mão de uma legislação antidemocrática para acobertar sua intransigência e autoritarismo. Lembrando que caso seja acolhida a tese dos empresários, o processo de Dissídio Coletivo será extinto, sem o julgamento do mérito, ou seja, este processo deixa de existir.

Considerando o conteúdo prejudicial aos trabalhadores, da Emenda Constitucional 45/2004, existem algumas ADINs (Ações Direta de Inconstitucionalidade) de n° 3.392/DF, 3.423/DF, 3.431/DF, 3.432/DF e 3.520/DF tramitando no Supremo Tribunal Federal. Essas ADINs buscam eliminar a exigência do comum acordo, mas não é possível estabelecer um prazo para que ocorra este julgamento.

Mas em se confirmando a extinção do processo de Dissídio Coletivo, por conta da não existência de comum acordo, conforme estabelece a Emenda Constitucional 45/2004, ainda resta a possibilidade do Sindppd/RS recorrer ao Supremo Tribunal federal (STF), considerando a existência de pendência na discussão, por conta das ADINs mencionadas anteriormente, o que determina que a extinção do processo de Dissídio Coletivo seja suspensa.

Mas a exemplo do que ocorreu nas campanhas salariais de 2011 e 2012, é possível que o SEPRORGS faça exatamente o que apregoa, ou seja, negocie de fato. O Sindppd/RS reiteradas vezes já indicou o caminho para a solução do impasse: basta os empresários apresentarem uma proposta contemplando aumento real de salários (além do reajuste pelo INPC) e podemos encerrar as duas datas-base em aberto, resolvendo todo este imbróglio jurídico que se arrasta a quase um ano. Basta os empresários terem vontade política e coerência com seu o discurso.

Diante de todo esse quadro, que é bastante complexo, mantemos nossa opinião de que para superar a postura da entidade patronal, somente com mobilização e pressão da categoria. A história recente comprova que somente quando o bolso dos empresários apertou, eles tiveram que ceder.

 

Vamos à luta, colegas da TI!

 

Sindppd/RS

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

41 Comentários

  1. Eu 20 maio, 2015 - 14:14 à 14:14

    Incrível como o SINDPPDRS é fraco… O SEPRORGS consegue exatamente o que quer, não dá aumento pra ninguém e o sindppd cai como um pato ano após ano. Até quando seremos obrigados a esperar para ter um dissídio descente?
    Agora teremos que esperar a boa vontade do Jurídico do Sindppd entregar o que foi pedido, e então a boa vontade da relatora do processo colocar novamente na pauta, e então, somente então, talvez ter aprovado esse mísero aumento que está sendo negociado.
    Ou seja, resumidamente, antes de julho, não teremos noção dos valores referentes a 2013/2014, e daí quem sabe um dia será dado encaminhamento para o dissidio de 2014/2015.
    E não temos opção de troca de sindicato.

    • sindppd 20 maio, 2015 - 14:25 à 14:25

      “Eu”, alguns esclarecimentos:

      1. Pela “boa vontade do jurídico do Sindppd/RS” não é preciso esperar, pois à assessoria foi dado um prazo de 8 dias para apresentar as contrarrazões, como está escrito no texto.

      2. Conforme já foi respondido várias vezes aos colegas aqui nos comentários, não podemos ajuizar a campanha salarial atual (2014/2015) estando a anterior já em juízo. Essa é uma determinação da legislação brasileira e não do Sindppd/RS.

      Não é preciso “esperar” por conquistas decentes, colega. É preciso participar. Aguardamos sugestões, bem como a participação dos trabalhadores, nas campanhas salariais e atividades do sindicato.

      Att.
      Sindppd/RS

    • Alex 20 maio, 2015 - 15:31 à 15:31

      Comentário perfeito!!!! Bem assim mesmo! Pena que a contribuição sindical seja obrigatória!

      • Brenda 29 setembro, 2015 - 22:15 à 22:15

        Alex, a Contribuição Sindical NÃO É OBRIGATÓRIA. Se informe melhor e verá que existe um prazo (data limite por ano) para encaminhar uma carta, com “AR” (aviso de recebimento) endereçada ao sindicato. Nela, você declara que não quer ser optante pelo desconto/contribuição. O sindicato é obrigado a aceitar. A propósito, não sou contra nem a favor de sindicato. Aos que preferirem, existe a opção de denunciar diretamente ao Ministério do Trabalho. Já fiz isso em outras ocasiões e a resposta foi imediata. Impressionante. Fica a critério de cada um.

  2. Rodrigo 20 maio, 2015 - 15:32 à 15:32

    Sindppd.. é o seguinte.. e se voces querem botar desculpa como sempre fazem podem fazer porque a 4 anos não vejo nunca voces adminitir que erram..
    Como falei para o Luis Sá… voces, por voces, e com nosso dinheiro.. não conseguem coisa alguma!!.. só conseguem quando tem mobilizações.. se a gente não consegue.. voces tmb não.. quer dizer.. são inuteis… admitam que vozes erraram.. a gente esta esperando por 1%.. e daqui a 6 meses vai entrar a valer o dissidio 2015/2016.. e vamos estar esperando o 14/15 e brigando por outro 1%.. vces não tem vergonha disso? meu salario é o mesmo e a Luz subiu mais de 45%.. o plano de saude aqui aumento 43,9%.. e o salario? a gente vai ter que ganhar ele se queremos ganhar.. para que negociar?? e falando de negociar.. a ultima negociaçãofoi dia 4 de maio.. e estamos a dia 20 e sem data marcada para outra? desculpem.. mas eu repito..e em maiusculo EU NÃO VOU FAZER GREVE, VOCES NÃO ME GARANTEM MEU EMPREGO NEM MEU SALARIO E MINHA FAMILIA É MAIS IMPORTANTE QUE VOCES… MUITO MAIS IMPROTANTE!..

    se querem subir em conceito, comecem a admitir que voces erram e que voces nos ultimos 15 anos não conseguem nada descente e parem de colocar a culpa em nos, que nos acordamos cedo e deitamos tarde, por que não fazemos greve e queremos sim ganhar nossas merrecas a final de mes.

    • Diretoria Sindppd/RS 20 maio, 2015 - 17:36 à 17:36

      Rodrigo,
      Reiteramos que deves ler na íntegra as notas publicadas pelo sindicato, pois várias observações tuas, já foram explicadas pacientemente em outras notícias. Também insistes em colocar as tuas opiniões que apontam soluções que não se aplicam na realidade, ou que tentam colocar o sindicato como se tivesse poderes mágicos.
      Destacamos que as alternativas que apresentas são sempre para terceiros ou para o sindicato fazer e o teu papel sempre é o de extrair exclusivamente os benefícios. Na vida real e em todas as demais categorias não existe ganhos sem luta.
      Desafiamos que apresentes um único exemplo concreto, onde tuas sugestões se viabilizaram na vida real.
      Por fim perguntamos onde tu queres chegar, insistindo com este tipo de postura. Toda crítica sempre é muita bem vinda, mas algumas só beneficiam a vida dos patrões.
      Diretoria Sindppd/RS

    • Auxiliar de programador 9 junho, 2015 - 17:22 à 17:22

      Excelente comentário!

  3. Jefferson 20 maio, 2015 - 16:51 à 16:51

    Certo se faz necessário esperar, esperar que vocês parem de homologar as rescisões, se faz esperar por vocês irem nas outras empresas fazer manifestação! É sempre tecno sinos e tecno puc!
    Falta de articulação, falta de resposta isso esta uma bagunça, entendo que o judiciário é lento mas o sindppd deve ser mais objetivo e buscar novos horizontes!

    • sindppd 20 maio, 2015 - 17:14 à 17:14

      Jefferson,

      já respondemos diversas vezes o que é necessário para suspender as homologações. Favor dar uma olhada nas matérias anteriores, bem como nos comentários. Também vamos em outras empresas de TI; ao dares uma olhada nas matérias antigas, comprovarás.

      Sobre as empresas de TI de porte pequeno, as quais existem centenas, muito dificilmente o sindicato irá conseguir visitar todas. Mas se tens alguma empresa específica a nos sugerir, cujos trabalhadores querem conversar e tirar dúvidas sobre campanha salarial e demais questões, podes nos passar. Mande-nos os nomes e endereços pelo e-mail [email protected], para agendarmos uma visita.

      Att.
      Sindppd/RS

  4. Desenvolvedor 20 maio, 2015 - 16:51 à 16:51

    Bem, se é preciso sugestões, eu já falei e vários outros colegas já falaram.

    No próximo encontro, aceitem o INPC nos dissídios de 2013/2014 e 2014/2015 e pronto.
    Esqueçam o 1% de aumento real e as 40 horas.

    Deixemos pro próximo.

    Quem concorda?

    • sindppd 20 maio, 2015 - 17:09 à 17:09

      Desenvolvedor,

      sem problemas de os temas serem debatidos aqui nos comentários, inclusive estimulamos o debate. No entanto, o fórum de decisões dos trabalhadores são as assembleias. E para ser decidida, essa questão que colocaste deve ser tomada em assembleia.

      Att.
      Sindppd/RS

      • Santo Expedito 21 maio, 2015 - 10:08 à 10:08

        Concordo plenamente com o colega “Desenvolvedor”!

        Então Sindicado, se as decisões dos trabalhadores são nas assembleias, marquem uma “reunião” para próxima semana, pois necessitamos nos pronunciar também e dizer, basta!!!!!
        Façam logo o acordo de 2013/2014 pelo INPC, Deixem as 40 horas para o dissídio de de 2015/2016. E na minha opinião, esqueçam o 1% de aumento real, deixa rolar este processo “ridículo” de 1%. Se o problema é a falta de acordo vão até o SEPRORGS e apertem a mão dos nossos “amigos’ e digam ” Vamos entrar num acordo!” … Aceitamos somente o INPC e já tá bom tamanho.
        Claro, a não ser que alguém aqui queira “aguardar” nossa “coletânea” de dissídios na Justiça!!!
        Vamos lá pessoal, vamos para um reunião com o Sindicato e resolver isto logo!
        E ai sindicato, pode ser ou não?

  5. Desenvolvedor II 20 maio, 2015 - 17:56 à 17:56

    Poderiam negociar para que seja pago sempre na data base de Novembro o reajuste do INPC sobre salário e benefícios, para então dar sequencia a outras negociações de ganho real, redução de carga horária, etc. Evitando assim prejudicar aos trabalhadores por terem seus salários defasados.

    • Desenvolvedor 21 maio, 2015 - 10:51 à 10:51

      Seria perfeito.

    • Desenvolvedor 21 maio, 2015 - 10:51 à 10:51

      Seria perfeito, Desenvolvedor II

      • Programadora 21 maio, 2015 - 15:15 à 15:15

        Perfeito III

        • Desenvolvedor II 25 maio, 2015 - 17:43 à 17:43

          sindppd, qual a dificuldade de adotar esta prática?

  6. Roberto 21 maio, 2015 - 0:47 à 0:47

    Interessante a postura da maioria. O sindicato brigando para conseguir aumento real, e as críticas ferozes ao sindicato borbulham.Se a postura para se conseguir algo é via justiça, que seja sempre assim. Mesmo que demore, mas precisamos enfrentar a classe patronal com todas as armas!

  7. Jefferson 21 maio, 2015 - 8:56 à 8:56

    Eu em alguns momentos dei razão para este sindicato, me iludi e estamos sendo ludibriados!
    É uma falta de consideração total com nós trabalhadores, essa falta de articulação esta nos matando!
    Eles vem com esse papo de que para parar com as homologações é necessário greve, na real verdade este sindicato tem medo de perderem nosso dinheiro de perderem o posto!
    E digo mais eles vão entregar as contra razões no último dia de prazo!
    Um sindicato no qual a gente liga e eles nunca sabem de nada, não se preocupam com os trabalhadores a cada dia que passa eu vejo o tratamento que recebemos de vocês!

  8. Jefferson 21 maio, 2015 - 9:08 à 9:08

    Entendo perfeitamente como funciona o judiciário, mas um sindicato que arrecada milhões no minimo tem que ter um assessoria jurídica muito forte!
    Só me falta a assessoria jurídica ser partidária!
    Pelo amor de deus o seprorgs esta conseguindo o que quer e nós que nem patinhos!

  9. Santo Expedito 21 maio, 2015 - 10:28 à 10:28

    Concordo plenamente com você!
    Isto pode ser uma pauta para próximas reuniões.
    Já falei no post anterior… Vamos fazer uma reunião com o Sindicato já na próxima reunião para expor a nossa opinião e entrar logo num acordo.

    • Ana Carolina 21 maio, 2015 - 13:46 à 13:46

      “Nossa a opinião”, de quem? Sou trabalhadora de TI e não quero apenas o INPC. Vou nessa assembleia para votar contra.

      Até porque várias empresas de TI JÁ DERAM 1% e até mais de aumento real. Como ficarão esses casos?

      Eu quero esperar sim. Quem ainda não ganhou o INPC que lute e não fique somente reclamando, porque isso só faz com que os outros colegas achem vocês um saco!

      • Santo Expedito 21 maio, 2015 - 15:57 à 15:57

        Só pode ser do Sindico !!!
        Você fala em lutar, você jaz fez greve minha amiga, pois é, eu já fiz em um passado remoto até com adesivos do sindicato no peito e não tive as garantias que me foram dadas, Já estamos nesta lenga lenga dois anos e você sabe muito bem onde isso vai parar. Quer um aumento de 1%, troque de empresa como eu fiz. Eu quero o que é de direto, que e o INPC.
        Se sou um “saco” então esqueçam o que falei e vamos juntar o nosso pacote de “Dissídios” atrasados e colocar tudo na Justiça e aguardar…e aguardar…
        E outra … saco! saco e ter que aguentar todo este tempo sem nada no bolso (“de direto”) minha amiga, ou você acha que os nosso atrasados terão reajuste quando recebermos tudo junto. KKK por favor!

      • Pessoa 22 maio, 2015 - 9:26 à 9:26

        “Outros colegas”? Eu te acho um saco pq tu se contradiz…desgeneraliza e generaliza logo a seguir. E o teu voto só anula o meu…E espero que mais pessoas não queiram o 1%. Eu nem estou por esse 1% pra te falar a verdade, estou pelo meu aumento de salário por esforço meu que esse teu 1% está me trancando. E o INPC é um direito. Isso o sindicato deveria obrigar as empresas a pagar no período. Mas todos sabem que o sindicato só cuida dos interesses da procergs…

        • Ana Carolina 22 maio, 2015 - 16:25 à 16:25

          Pois é né cara, já eu acho que o MEU esforço vale bem mais do que o INPC. Por isso eu quero mais. E falando com colegas meus, esses pelo menos tb acham que valem mais do que o INPC.

          Além disso, o sindicato dos empresários já disse para as empresas pagarem a inflação para os funcionários. Tanto é que a minha já pagou. Se a tua empresa é tão chinelo que nem o INPC pagou, sugiro trocar de empresa porque ela não vale nada.

          Até e boa sorte!

          • Pessoa 25 maio, 2015 - 10:22 à 10:22

            Pelo jeito o teu esforço vale 1%.

            Boa sorte na tua carreira !

      • Santo Expedito 22 maio, 2015 - 14:51 à 14:51

        Você fala em lutar, você jaz fez greve minha amiga, pois é, eu já fiz em um passado remoto até com adesivos do sindicato no peito e não tive as garantias que me foram dadas, Já estamos nesta lenga lenga dois anos e você sabe muito bem onde isso vai parar. Quer um aumento de 1%, troque de empresa como eu fiz. Eu quero o que é de direto, que e o INPC.
        Se sou um “saco” então esqueçam o que falei e vamos juntar o nosso pacote de “Dissídios” atrasados e colocar tudo na Justiça e aguardar…e aguardar…
        Saco e ter que aguentar todo este tempo sem nada no bolso (“de direto”) minha amiga, ou você acha que os nosso atrasados terão reajuste quando recebermos tudo junto. KKK por favor!

        Sindicato!! Não apaguem meus comentários!!!!

        • Ana Carolina 22 maio, 2015 - 16:22 à 16:22

          Não sou síndica não. Se você está se referindo ao sindicato, também não faço parte dele. E diferente de vocês, tenho coragem de assinar com o meu nome aqui.

          Já fiz greve. Minha empresa não fazia parte desse sindicato. Na época, conquistamos algumas coisas e tivemos que compensar os dias de greve trabalhando. Estou aqui viva e não me arrependo de ter feito greve. Não existem 100% de garantia; quando se faz greve, a gente pode ganhar e perder. Assim como tudo na vida, é uma aposta.

          Agora não entendi porque tá reclamando, já que disse que trocou para uma empresa que paga 1% de aumento real. Então porque quer o INPC??

  10. Jorge 21 maio, 2015 - 14:03 à 14:03

    Se já esperamos até agora não custa esperar mais, porém a necessidade de mais pressão do sindicato!

    • Santo Expedito 21 maio, 2015 - 15:58 à 15:58

      Também concordo Jorge!!!

  11. Jorge 21 maio, 2015 - 14:06 à 14:06

    Pelo que li corremos o risco de perder inclusive o inpc, também pode ser encaminhado o dissidio ao supremo tribunal federal.
    Estamos correndo o risco, não podemos apenas esperar pela justiça.
    O sindicato tem que se fortalecer juridicamente, barrar a homologações e incomodar em frente as empresas de TI.

  12. contibuicao 22 maio, 2015 - 22:25 à 22:25

    Essa Ana Carolina não tem filho e deve ser do sindicato mesmo!

  13. Cristiano 25 maio, 2015 - 0:52 à 0:52

    Vai chegar a um ponto q receber só o INPC vai ser considerado uma grande vitória.

  14. Desenvolvedor 25 maio, 2015 - 16:43 à 16:43

    Então…
    Não tem como o Sindicato exigir que seja pago pelo menos o INPC?

    Sei de várias empresas que não se coçaram ainda.
    Desrespeito total aos trabalhadores.

  15. João 26 maio, 2015 - 11:18 à 11:18

    Então Sindicato, quais serão as próximas ações?

    Quando é a próxima reunião com o patronal?

    Sera que podem nos dar uma luz do que esta acontecendo?

    Logo estaremos indo para o TERCEIRO DISSIDIO sem acordo… está bem complicada essa situação.

  16. Programadora 26 maio, 2015 - 17:02 à 17:02

    Sindicato poderiam nos informar das movimentações do dissídio no TST? Vi que teve várias movimentações nos últimos dias e que foi encaminhado para incluir na pauta. Quando seria a provável data do julgamento?

  17. Luis 28 maio, 2015 - 20:59 à 20:59

    Compreendo os amigos que hoje tem mais de 10% de defasagem no salário devido a malandragem do SEPRORGS e a incapacidade do SINDPPD-RS de defender os direitos dos trabalhadores.

    Veja que defender não é impedir que sejam “tirados” os direitos já adquiridos, porque ninguém em sã consciência assinaria algo brutal como entregar os direitos adquiridos se não fosse em troca de um bom montante de dinheiro.

    Mas peço que entendam que o mercado de TI é muito competitivo, e hoje os que estão ceifando a vida e a condição financeira de vocês em breve pagará caro por isso.

    Os mesmos que vem AQUI pedir pelo amor de deus para o sindicato pagar o que eles querem pagar, são os mesmos que se prostituem por salários cada vez mais ridículos, cargas horárias absurdas, banco de horas, etc. É capaz até de engraxarem os sapatos do edgar serrano. LARGUEM DA TI!!!!!!

    Eu quero é que o Sindicato tome vergonha na cara e vá até a última instância e não abra mão de NADA! A gente só perde ano após ano! Empresário da TI segue lucrando (e lucrando ainda em cima de sonegação e com serviço que permite outros sonegarem!).

    Se você não tem condição de mudar de emprego por falta de estudo ou por falta de condições técnicas mesmo, sugiro fazer o seguinte:

    1. Procure se especializar.
    2. Procure fazer cursos, etc.
    3. Faculdade nem precisa falar, abre trocentas portas. Estar matriculado já ajuda muito (ENEM -> PROUNI para quem alegar que não tem $$$).

    4. Trocar de área. Infelizmente TI não é um lugar para alguém que vive lamentando e dando desculpas para tudo que precisa alimentar toda a família e por isso não pode buscar especialização. Tem outras áreas onde tu pode se destacar sem investir muito em curso e aperfeiçoamento. Vendas por exemplo.

    5. Se ainda assim não dá pra fazer nada, começa operação tartaruga no trabalho. Não atinja metas (afinal tu não ganha nada a mais por atingir metas né? Nem aumento dão).

    E é isso. Parem de aceitar migalhas. TENHAM DIGNIDADE!!!!

    • Pessoa 30 maio, 2015 - 12:12 à 12:12

      Quando vem um pessoa desinformada dizer o que tem que ser feito ou não me indigna. Mudar de emprego? De área? Seu acéfalo, quem dá moral pra 1% de aumento, ou os 10% como tu colocaste? A questão toda é direitos que não estão sendo cumpridos. O 1% e mais todas outras reinvidicações é que estão travando um monte de outros acordos entre as próprias empresas e seus funcionários.

      Só para tu ficar atento, a empresa que paga o dissídio hj, nada garante que irá pagar ano que vem. Meu caso, por exemplo…

      Prostituição? Tu é daqueles caras que o chefe manda tu fazer mil e uma especializações, vira m robô. Perde o resto da humanidade que tem. Não dá atenção pros filhos e esposa e acha isso bonito. . “Eu sou esforçado(um robô). Sou um contribuidor do Spring Team! Meu chefe me idolatra !”.

      Dai, acaba um projeto, te mandam pra rua, dai tu pensa: “TI é fácil de arranjar emprego, ainda mais sendo um robô como eu.” Continue assim !

      Direito é direito.

      • Luis 8 junho, 2015 - 8:51 à 8:51

        Amigo troca de área, vai pra vendas, marketing, publicidade. TI não é o teu lugar.

  18. jefferson 1 junho, 2015 - 9:44 à 9:44

    É isso ai LUIS!!!!

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: [email protected]