210721assembleia_PROCEMPA_final da greve_DESTAQUE

Procempa: com greve, trabalhadores conquistam reposição salarial

0 204
image_pdfimage_print


Após 56 dias de GREVE, uma gigantesca demonstração de resistência, a categoria quebrou a intransigência da direção da empresa e do Governo Melo de reajuste ZERO, conseguindo 3% de reposição nos salários e benefícios. Trabalhadores seguem motivados  na luta em defesa da PROCEMPA PÚBLICA!

Em assembleia emocionante, realizada na tarde dessa 4ª feira (21/07), os trabalhadores em GREVE da PROCEMPA aprovaram, por ampla maioria, a proposta da direção da empresa e da prefeitura de Porto Alegre para a Campanha Salarial 2021/2022. Foram 76 votos sim (80% do total de votantes); 14 votos não; 5 abstenções. A decisão deu fim à paralisação da categoria, que retornou ao trabalho já na manhã de 5ª feira (22/07).

 

A proposta aprovada na assembleia de 4ª feira (21/07):

– Reajuste de 3% sobre salários e benefícios, a ser pago a partir de Janeiro/2022. O índice de 3,76% faltante para a integralização do IPCA do período permanece para negociação na próxima data-base (1º de Maio de 2022);

– Abono único de R$ 1 mil no vale-alimentação a ser pago até Outubro e condicionado a atingir, nos meses de Agosto e de Setembro de 2021, o faturamento médio obtido em Janeiro, Fevereiro e Março de 2021;

– Manutenção de todas as cláusulas do ACT (Acordo Coletivo de Trabalho);

– Quitação dos índices devidos referentes a períodos anteriores e quitação também dos dias parados em greves anteriores.

Sobre o pagamento dos salários e dos benefícios cortados ILEGALMENTE pelo Governo Melo:

– Pagamento de 60% do salário referente aos dias parados em até 72h após o fim da greve. O pagamento dos 40% restantes serão divididos da seguinte forma: 20% em 05/08, e os demais 20% em 05/09;

– Pagamento integral dos benefícios (vale-alimentação e vale-refeição) referente à totalidade dos dias parados serão pagos em até 48h a partir do encerramento da greve.

Sobre a compensação das horas da GREVE:

– Compensação máxima de 90h por empregado com 8 horas de jornada, observada a proporcionalidade para jornadas de 6 horas, gozo de férias, licença prêmio, licença pelo INSS e outros casos individuais durante a greve. Para fins de compensação, o empregado poderá utilizar saldo de banco de horas, dias de dissídio ou dias de folga pelo TRE, a ser ajustado individualmente. O limite máximo para compensação é 15/12/21. Os empregados que tiverem férias, licença prêmio ou licença pelo INSS nesse período terão esses dias acrescidos ao prazo final para compensação. O empregado que não quiser compensar deverá avisar em 10 dias a contar do encerramento da greve, para parcelamento do desconto dos dias até a folha de dezembro. As horas não compensadas até 15/12/2021 serão descontadas na folha de dezembro, que será paga em 05/01/22.

 

Na assembleia dessa 4ª feira (20/07), os trabalhadores também aprovaram a contribuição assistencial de 1% a ser cobrada em Outubro/2021 para ajudar o Sindppd/RS a pagar os custos da campanha salarial.

Foi uma vitória parcial, mas muito importante. Não alcançamos a reposição dos 23% de perdas salariais que os trabalhadores tiveram nos últimos 5 anos em que ficaram sem receber qualquer reajuste.  No entanto, conquistamos parte da reposição da inflação do período recente, quando a direção da PROCEMPA e a prefeitura queriam dar REAJUSTE ZERO, impondo mais um ano sem repassar nenhum centavo aos salários.

Trabalhadores seguem motivados e unidos para continuar com a luta em defesa de seus empregos, direitos e da empresa. Também permanece de pé a luta por concurso público. Contamos com TODOS os colegas nesta peleia!

 

210721assembleia_PROCEMPA_final da greve
Assembleia virtual na 4ª feira (21/07) encerrou a greve dos trabalhadores da PROCEMPA

 

 

A luta prossegue em defesa da PROCEMPA PÚBLICA!

No final da live realizada na 3ª feira (20/07), o prefeito Sebastião Melo, que já tinha desrespeitado o direito de greve, mais uma vez faltou com a verdade e manipulou novamente as informações para criticar os trabalhadores da PROCEMPA. Falou que a categoria recebe quase 5x mais do que o setor privado e que queria 23% de aumento salarial em plena pandemia, dando a entender que estes trabalhadores, que já seriam privilegiados por seus altos salários, estavam pedindo um reajuste demasiado em meio à crise sanitária do COVID-19. Ele omitiu, de forma proposital, que os trabalhadores estavam há 5 anos sem repor as perdas salariais com a inflação.

O prefeito Sebastião Melo também tentou dividir os trabalhadores. Agradeceu e mandou abraços aos que não estiveram na GREVE e fez cara de repreensão aos que paralisaram, dizendo que “este não é o Brasil que eu quero”.

Mas uma questão ele acertou: que a GREVE também pautou o PLE 003/2021 que desmonta a PROCEMPA. Como um representante dos empresários e não do interesse da população, tratou a empresa pública como algo a parte, fora da governo municipal ao dizer que “ela [PROCEMPA] queria que contratasse tudo com ela”, como se a PROCEMPA fosse uma concorrente e não A empresa pública de TI do município de Porto Alegre (RS)!

 

Vídeo gravado na 4ª feira (21/07) pela diretora do Sindppd/RS, Vera Guasso, sobre a greve
dos trabalhadores da PROCEMPA

 

 

Mais uma vez, fica clara a importância dos TRABALHADORES estarem organizados e em luta. Qualquer patrão, entre eles o prefeito Melo, querem jogar as perdas da crise financeira nas costas dos trabalhadores. Para os patrões, direito dos trabalhadores, como nossa luta pela reposição salarial, beira a “luxo”, e a luta é quase um crime.

É nós por nós, colegas da PROCEMPA. Quem defende os direitos dos TRABALHADORES somos nós mesmos. Não esperemos benesses ou consideração dos patrões!

Venham junto na luta em defesa da PROCEMPA pública!

 

Sindppd/RS

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br