190422tribuna_procempa_DESTAQUE

Sindppd/RS denuncia privatização de serviços da Procempa na Câmara

0 316
image_pdfimage_print


Diretora do Sindppd/RS, Vera Guasso, buscou ajuda dos vereadores da Capital para defender a empresa pública de TI contra o desmonte já iniciado pelo prefeito Nelson Marchezan Jr.

No final da matéria, veja as matérias que repercutiram os assuntos no site da Câmara de Vereadores e no jornal Correio do Povo.

 

O Sindppd/RS e os trabalhadores da PROCEMPA (empresa de TI do município de Porto Alegre) utilizaram, na segunda-feira (22/04), o espaço da Tribunal Popular na Câmara de Vereadores da Capital para alertar sobre a situação bastante crítica enfrentada pela empresa. Cerca de 20 colegas da PROCEMPA, entre eles integrantes da CT (Comissão de Trabalhadores), estiveram presentes no plenário para acompanhar a denúncia e suas repercussões.

A diretora do sindicato, Vera Guasso, teve 10 minutos para fazer a denúncia. Ela relatou que está sendo implementado, pela direção da empresa e pela gestão do prefeito Nelson Marchezan Jr., um processo de PRIVATIZAÇÃO de serviços importantes que hoje são prestados pela empresa: os sistema para o DMAE e a contratação da Fábrica Externa de Software.

Vera ressaltou que a PROCEMPA presta serviço ao DMAE há 40 anos, o qual responde em torno por 10% do faturamento da empresa municipal de TI. É um serviço especializado, desenvolvido e mantido por funcionários com qualidade técnica, sem interrupção e com custo abaixo dos preços de mercado.

Ela comparou a possibilidade de quebra de contrato com o DMAE com o antigo e desgastante caso da terceirização do SIAT, sistema fundamental de arrecadação da Secretaria Municipal da Fazenda. Com o discurso de pressa e redução de custos para a prefeitura, o SIAT foi terceirizado há 12 anos atrás. Após muitos problemas e erros, a PROCEMPA reassumiu o SIAT e, em 2018, trouxe o conjunto dos sistema de volta para a empresa. Mas esta situação criou, entre 2011 e 2014, uma grande instabilidade no sistema, e foi contabilizado, pela própria prefeitura, um prejuízo de R$ 160 milhões aos cofres por conta do não envio dos carnês do IPTU e outras demandas não cobradas pela prefeitura. “Assim como não tinha empresa de TI no mercado em condições de manter o SIAT da forma que a prefeitura de Porto Alegre necessita, possivelmente não terá para o novo sistema que o DMAE precisa, o ACQUA”, argumentou a diretora do Sindppd/RS. “A PROCEMPA presta serviço com preço 40% mais barato do que as empresas privadas, segundo um levamento feito pela empresa em 2016, já neste governo. Dificilmente, alguma empresa do mercado cumpriria os contratos nessas condições”, sustentou.

Vera Guasso também denunciou que a Gestão Marchezan Jr. está prevendo uma licitação para contratar uma fábrica externa de software. O contrato seria de 125 mil horas técnicas por ano, 15 mil horas a mais das 110 mil horas técnicas anuais que a prefeitura municipal paga à PROCEMPA pelos serviços prestados. Diante disso a gestão Marchezan Jr e a direção da empresa pretendem praticamente esvaziar a empresa municipal de TI, correndo ainda o risco de ter que pagar a fábrica externa sem a devida prestação dos serviços devido à enorme quantidade de demanda que estas 125 mil horas irão acarretar.

 

190422tribuna_procempa_foto1190422tribuna_procempa_foto2

190422tribuna_procempa_foto3
Acima, à esquerda, foto da Câmara de Vereadores. As restantes são do Sindppd/RS

 

 

 

ESVAZIAMENTO DA PROCEMPA: UM PERIGO CONCRETO

Após a exposição do Sindppd/RS, vereadores utilizaram-se da Tribuna Popular para se manifestar e, em sua maioria, defenderam a manutenção da PROCEMPA pública e exaltaram seus serviços prestados, destacando os mais de 1 mil km de infovia que cobrem a Capital. Entre eles, falaram Adeli Sell e Engenheiro Comassetto (PT); Roberto Robaina e Karen Santos (PSOL) e Airto Ferronato (PSB).

A manifestação destoante foi a do vereador Valter Nagelstein (MDB) que, representando todo o seu partido na Câmara, o MDB, defendeu publicamente a privatização da PROCEMPA. Para ele, o Estado precisa se deter em áreas prioritárias, entre as quais não está a TI. Os colegas presentes no plenário vaiaram o vereador.

Se antes o debate da privatização estava velado, colega da PROCEMPA, agora ele ganha corpo como uma possibilidade real. As medidas do prefeito Nelson Marchezan Jr., com o aval da gestão da PROCEMPA, têm sido no sentido de desmontar a empresa.

 

Temos que nos manter MOBILIZADOS e em MOVIMENTO, colegas da PROCEMPA. Para isso, a LUTA é fundamental. Estejam com a CT e o Sindppd/RS!

 

 

 

## Matérias sobre o pronunciamento do Sindppd/RS:


Site da Câmara de Vereadores:
Sindppd pede apoio da Câmara sobre contratos com a Procempa


Jornal Correio do Povo (23/04/19):

190423MATERIA PROCEMPA_tribunal popular_CP

 

 

 

Sindppd/RS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br