Camp Salarial TI Priv

Setor Privado 2019/2020: 6ª mesa de negociação tem avanços

49 2740
image_pdfimage_print

 

Nessa 3ª feira (18/02), Sindppd/RS e SEPRORGS (sindicato dos empresários da TI do RS) se reuniram na sede do sindicato dos trabalhadores, em Porto Alegre (RS), para tratar das negociações da Campanha Salarial 2019/2020. Essa foi a 6ª mesa de negociação.

Na ata, as questões referentes às reivindicações dos trabalhadores são descritas de forma geral porque, infelizmente, os representantes do SEPRORGS só concordam em registrar as tratativas somente depois que forem definidas na assembleia dos empresários . Por isso as atas são sempre genéricas  e não trazem detalhes das negociações.

 

CLIQUE AQUI para acessar a ata

 

O que podemos dizer aos colegas da TI para além do que está na ata é que avançamos nas tratativas em relação às questões econômicas.

Estão sendo negociados:

Reajuste dos salários e benefícios  pelo INPC do período (2,55%), com pagamento integral dos retroativos à data-base 1º de Novembro. Outros itens que têm impacto financeiro importante aos trabalhadores poderão ter mais avanços;

– Manutenção de todas as demais cláusulas da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) do Setor Privado.

 

Em relação à CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL dos trabalhadores e dos empresários, nosso sindicato e o SEPRORGS estão adequando a Cláusula 67, que trata deste assunto, como pode ser conferido na ata.

 

A tratativa acima será apresentada pelo SEPRORGS em assembleia a ser realizada com as empresas associadas em breve. A partir do resultado e demais considerações, o SEPRORGS deverá apresentar uma proposta formal na próxima mesa de negociação com o Sindppd/RS, agendada para 6 de Março, às 15h30min, na sede da entidade patronal, na Capital.

Se alguma proposta for formalizada pelos empresários nesta mesa em Março, o Sindppd/RS convocará uma ASSEMBLEIA da nossa categoria para que os trabalhadores possam debater e deliberar sobre ela.

Então, colegas da TI, fiquem atentos aos informes do Sindppd/RS. E participem da assembleia!  

 

 

Sindicato FORTE e ATUANTE nas campanhas salariais, que lute contra as demissões, por reajuste salarial e por melhores condições de trabalho, pela manutenção dos nossos direitos, é o que tem os TRABALHADORES junto.

Venha e contribua com o Sindppd/RS, colega da TI!

 

 
Sindppd/RS  

 

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

49 Comentários

  1. Rafael 19 fevereiro, 2020 - 13:16 à 13:16

    ainda esse jogo de empurra empurra

  2. Jeferson 19 fevereiro, 2020 - 13:45 à 13:45

    Boa Tarde

    E os 3% de ganho real? Morreu na praia?
    Assim fica fácil para o patronal…atrasa 3 meses e paga apenas a reposição da inflação!!

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 16:23 à 16:23

      Pois é Jeferson, este é o jogo deles já faz tempo. Nos colocam no gelo por meses para, depois, dar o INPC, que chega mais desvalorizado do que quando é medido no final de Outubro – afinal, a inflação oficial já não retrata os preços do cotidiano do país faz tempo.

      Se continuarmos achando que as campanhas salariais se resolvem apenas nas mesas de negociação, pouco avançaremos.

      Sindppd/RS

  3. Rosita Nikolof 19 fevereiro, 2020 - 14:27 à 14:27

    Então, resumindo, estamos desde novembro “negociando” o INPC do período, os míseros 2,55% e “manutenção” do que já temos, isto é, nenhuma melhoria? É isso mesmo? A reunião foi praticamente em torno da contribuição sindical, ou seja “descontos” para nós? Pelo menos, a ata é praticamente só sobre isso.

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 16:19 à 16:19

      A reunião não foi apenas sobre a assistencial, Rosita. No 2º parágrafo do texto, explicamos por que a maior parte da ata trata da assistencial: se deve ao fato de o SEPRORGS não querer registrar em ata qualquer negociação acerca das questões econômicas, pois não apresentou uma proposta FORMAL ao Sindppd/RS. A ata é um documento legal, não podemos registrar o que quisermos de forma unilateral e beirando a irresponsabilidade. Por isso é que o nosso texto é que traz o debate sobre as questões econômicas.

      Em relação à campanha salarial, é isso mesmo, estamos há 5 meses fazendo mesa de negociação com o SEPRORGS para, apenas agora, proporem os 2,55% (INPC), que nada mais é do que a reposição da inflação. Sabemos que este índice não cobre nossos gastos e que merecemos bem mais do que isso, inclusive pelo que produzimos, mas a situação de outras categorias, inclusive da TI em outros estados, não está muito diferente.

      E colega, não minimize a manutenção da CCT/ Convenção Coletiva, pois pode parecer pouco, mas no início da campanha salarial, o SEPRORGS estava requerendo reduzir valores de benefícios e retirar direitos da Convenção. Estamos conseguindo manter porque fincamos pé, tanto é que estamos há 5 meses em campanha salarial. Nossa CCT aqui do RS, fruto da luta e da organização dos trabalhadores/ sindicato, é uma boa Convenção em comparação com algumas outras da TI de outros estados, então achamos que temos que preservá-la.

      Na nossa opinião, se a nossa categoria prosseguir apostando apenas nas mesas de negociação com o sindicato patronal, sem fazer pressão e mobilização, pouco teremos avanços. Está mais do que na hora de nos juntarmos e irmos à luta.

      Sindppd/RS

  4. Felipe 19 fevereiro, 2020 - 14:28 à 14:28

    Boa Tarde.
    O Aumento real continua na pauta? Pois somente os 2.55% do INPC é inadmissível para nós trabalhadores.

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 16:01 à 16:01

      Felipe, continua na nossa pauta sim, pedimos inclusive 3% de aumento real, mas não tem acordo com o SEPRORGS em relação a isso.

      Att. Sindppd/RS

  5. Anonimo 19 fevereiro, 2020 - 14:54 à 14:54

    Boa tarde, eu tenho uma dúvida.
    Esses 2.55% é o aumento final, ou tem algum outro valor?

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 16:05 à 16:05

      Os 2,55% é apenas a reposição da inflação do período da data-base (1º/11) medido pelo INPC. O SEPRORGS ainda não formalizou uma proposta, mas nesta mesa de negociação ponderou de repor apenas a inflação. A proposta final dos empresários deve sair na assembleia deles, que ocorrerá em breve.

      Att. Comunicação Sindppd/RS

  6. Jonatan 19 fevereiro, 2020 - 15:52 à 15:52

    Existe alguma possibilidade de aumento real do salário? Verificando o índice INPC do ano passado, no mês de Outubro tivemos o valor mais baixo (2,55%), e sinceramente, isso não indica a realidade, podendo dar como exemplo o combustível que subiu desproporcionalmente.

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 16:00 à 16:00

      Jonatan,

      concordamos com a tua análise e é o que sustentamos nas mesas de negociação, agregando ainda o fato de que o setor de TI tem crescido e lucrado, as empresas estão se expandindo etc. Mas o SEPRORGS tem se mostrado intransigente, desde o início, a reajustar mais do que a inflação. Vamos ver o que vai sair da assembleia deles.

      Sindppd/RS

  7. Abreu 19 fevereiro, 2020 - 15:58 à 15:58

    Não tô dizendo ??? Mais um mês para frente. E no final ??? Somente o INPC. hahahahahaha.

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 15:47 à 15:47

      Pois é, Abreu, mas não achamos que esta situação é motivo para dar risada ou para gozação. Precisamos passar 5 meses da data-base para os empresários proporem o MÍNIMO, que é a reposição da inflação (um índice que não retrata a realidade econômica do país e, ainda, já desvalorizado porque se refere às perdas de 2019, não de hoje).

      Até então, o SEPRORGS não queria nem reajustar pela inflação, e, ainda, mexer em várias cláusulas da nossa CCT (Convenção Coletiva), reduzindo valores e direitos.

      Enquanto a gente, enquanto categoria, depender apenas das mesas de negociação, sem fazer pressão nos empresários, nada, dificilmente avançaremos.

      Sindppd/RS

      • Rafael 27 fevereiro, 2020 - 18:14 à 18:14

        Então porque não organizam paralisação e greve??? Tão difícil né, 05 meses de atraso nas negociações já é motivo suficiente para ao menos uma paralisação.

        • sindppd 28 fevereiro, 2020 - 14:28 à 14:28

          Precisamos de ajuda. Entre em contato com o sindicato, Rafael, vamos lá! Quem mais puder, que venha, vamos marcar uma reunião e ver o que podemos fazer!

          À luta!

          Sindppd/RS

  8. Marcelo 19 fevereiro, 2020 - 16:13 à 16:13

    E a contraproposta de mais 2% de aumento real nos salários e benefícios?

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 15:40 à 15:40

      Patronal não aceitou. Para os salários, quer repor apenas o INPC (2,55%, inflação do período). TALVEZ tenha algum avanço nos valores de benefícios. Precisamos esperar a formalização da proposta dos empresários após a assembleia deles.

      Sindppd/RS

  9. Paulo Cunha 19 fevereiro, 2020 - 16:25 à 16:25

    Pelo menos no quesito desconto da contribuição assistencial já evoluiu. Quanto ao possível crédito acima do inpc para poder bancar a assistência nem foi cogitada.

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 15:36 à 15:36

      É, o SEPRORGS não quer dar aumento real. O que já é de praxe, infelizmente.

      Sindppd/RS

  10. Eduardo 19 fevereiro, 2020 - 17:59 à 17:59

    Dois vírgula cinquenta e cinco porcento ???!?!

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 15:35 à 15:35

      Este é o índice da reposição da inflação oficial medida pelo INPC para o período da data-base (1º/11). SEPRORGS não ponderou sobre aumento real, que é o reajuste para além da inflação.

      Sindppd/RS

  11. Funcionário TI 19 fevereiro, 2020 - 21:13 à 21:13

    E o aumento real? Quais ou itens poderão ter evolução? Já estamos na 6ª rodada e nada definido!!!

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 15:33 à 15:33

      Na mesa de negociação, foi falado de TALVEZ ter mais aumento em algum dos benefícios. Nos salários, infelizmente, a patronal não se mostrou disposta a reajustar para além da inflação (2,55%).

      Comunicação Sindppd/RS

  12. Roberta 20 fevereiro, 2020 - 7:39 à 7:39

    A ata foi apenas referente a contribuição sindical?
    E o restante não foi abordado?
    O valor de reajuste, aumento do auxilio creche para até 6 anos de idade….
    Chega a dar uma tristeza ver uma ata desta onde parece que o Sindicato está preocupado somente com a contribuição sindical.

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 15:29 à 15:29

      Roberta, lestes o texto? A matéria trata, em boa parte, das questões que colocastes. E o 2º parágrafo explica porque a maior parte da ata é sobre a cláusula da assistencial. Sobre auxílio-creche, geralmente acompanha os reajustes que são dados aos salários, mas precisamos aguardar como será a proposta que sairá da assembleia do SEPRORGS.

      Att. Comunicação Sindppd/RS

  13. Alexsandro Brum 20 fevereiro, 2020 - 15:12 à 15:12

    A única coisa que vi na ata foram tratativas sobre a contribuição sindical. Não cita reajuste, não cita jornada de trabalho, nada. Apenas desconto sindical.

    • sindppd 20 fevereiro, 2020 - 15:22 à 15:22

      Favor ler o texto, Alexsandro. A matéria trata, em boa parte, das questões que colocastes. E o 2º parágrafo explica porque a maior parte da ata é sobre a cláusula da assistencial.

      Att. Comunicação Sindppd/RS

  14. PHP 21 fevereiro, 2020 - 10:04 à 10:04

    Olá, se eu sai em Setembro/2019 ainda tenho algo a receber desse possível acordo?

    • sindppd 3 junho, 2020 - 14:37 à 14:37

      O acordo vale para quem estava empregado na data-base (1º de Novembro de 2019), portanto não, colega.

      Att. Sindppd/RS

  15. CLEVERTON 21 fevereiro, 2020 - 16:26 à 16:26

    resumindo: não conseguem garantir este reajuste ridículo e ainda discutem mais recurso, retirado de forma unilateral, da contado do trabalhador? e a forma que isso se da, beira o roubo, pois se eu esquecer de ir no sindicato pessoalmente, serei roubado em 1%… fim dos sindicatos urgente! não me representam.

    • sindppd 26 fevereiro, 2020 - 14:03 à 14:03

      Não é retirado de forma unilateral, pois todos os trabalhadores, inclusive tu, terás a oportunidade de se opor e não contribuir. Portanto, muito menos é roubo. Realmente, o reajuste salarial pelo INPC é muito pouco frente às perdas dos nossos ganhos, mas as categorias de trabalhadores em geral não estão conseguindo mais do que isso, infelizmente.

      Se não existisse sindicato, nem sequer a CCT (Convenção Coletiva) existiria. E cada trabalhador ou grupos de trabalhadores de determinadas empresas teriam que negociar diretamente com a chefia ou o patrão os reajustes salariais e dos benefícios e demais direitos que hoje estão garantidos na CCT, que é fruto da negociação coletiva. E teriam que negociar diretamente sem representação do sindicato, ficando à mercê de sofrer qualquer represália ou assédio por parte das chefias.

      Atualmente, com o nível alto de desemprego e a repressão, muitas vezes velada, em boa parte das empresas, os trabalhadores de forma geral têm medo de até falar com o sindicato na frente das empresas, de ligar e conversar com o Sindppd/RS, de vir à assembleia. Ainda mais para discutir reajuste salarial.

      Mas a reforma trabalhista permitiu que os trabalhadores possam fazer acordos direto com os patrões/ empresários Cleverton. Se queres o fim dos sindicatos e acha que o Sindppd/RS não te representa, podes negociar direto teu reajuste aí na empresa. Mas lembre que mesmo negociando sozinho ainda partirás dos pisos salariais que constam em nossa Convenção Coletiva (CCT), que é fruto da organização da categoria e da luta COLETIVA dos trabalhadores do setor privado de TI.

      Att. Comunicação Sindppd/RS

  16. Elis 24 fevereiro, 2020 - 9:58 à 9:58

    Ata serve para que?
    Não seria para anotar tudo que é discutido na reunião?
    Porque se esta assinado é porque se dá aval do assunto, o que entra no site é redigido sem assinatura dos participantes da Ata!
    Ou seja só foi discutido o que esta na Ata.
    Como dar fé da publicação descrita no site?

    • sindppd 26 fevereiro, 2020 - 13:51 à 13:51

      Sobre a ata, está explicado no texto, Elis. Em relação ao que escrevemos no site, é a palavra do Sindppd/RS, que existe há mais de 30 anos. Não somos ingênuos e, muito menos, irresponsáveis, tanto é que somos criticados quando não escrevemos nada para além da ata em momentos que não podemos afirmar questões devido às evasivas do SEPRORGS.

      Temos responsabilidade sobre o que escrevemos, mas realmente não podemos garantir que o outro lado não dê para trás. O que fizemos foi relatar o que tratado na reunião, que foi além do que está na ata.

      Não acreditas no sindicato que te representa?

      Sindppd/RS

      • Eric 4 março, 2020 - 11:49 à 11:49

        A Elis está com total razão, ATA é para descrever a reunião como um todo, se a reunião foi além do que esta na ATA já está muito errado.
        O que não está escrito não foi falado, simples assim.Se foi falado e não está ali não estão conduzindo a reunião da forma correta. Ai depois chega o SEPRORGS e diz que não foi falado vocês vão provar como? Tem audio da reunião?

        Foi colocar abaixo o trecho da ATA que achei mais interessante:
        “Em continuidade as negociações da Convenção Coletiva de Trabalho de 2019/2020 e após diálogo os sindicatos apresentaram pretensões mútuas relacionadas às Cláusulas econômicas com impacto em salarios e benefícios, sociais que tratam das condições de trabalho e jornada onde foram contruidas alternativas que deverão ser levadas as respectivas assembléias e agendaram a próxima mesa de negociação…”

        O que foi falado neste “diálogo”?
        Quais são as “Pretensões mútuas”?
        Quais são as alternativas?
        ATA muito mal escrita sem detalhamento, não diz ali quais são as condições que o Sindppd está pedindo e quais as propostas do SEPRORGS. A cada reunião se perde mais tempo sem chegar a lugar algum.
        É a famosa reunião para se acertar a data da próxima reunião…

        • Elis 9 março, 2020 - 11:53 à 11:53

          Eric, obrigada pelo apoio.
          Também concordo, se olharmos as atas anteriores, são atas para tratar da data da próxima reunião, sem mais informações.
          O Sindppdrs poderia ter um canal, mais comunicativo conosco, vídeo no face das reuniões, chamaria mais o pessoal a participar e opinar e entender como o sindicato nos representa. Ou que nem comentaste gravação da reunião, nós aqui do interior não temos como ir até o sindicato participar.
          Queremos mais transparência das evidências da luta por nossa categoria!

  17. Roberto 24 fevereiro, 2020 - 14:05 à 14:05

    Boa tarde,
    Esse percentual de aumento fica muito aquém da realidade. A escola da filha aumentou 10%, plano de saúde 11%, alimentação, gasolina, nem se fala.
    Nosso poder aquisitivo cada vez mais fica achatado.
    Atte
    Roberto

    • sindppd 26 fevereiro, 2020 - 13:46 à 13:46

      Pois é, Roberto. Revoltante. Ou nos organizamos e nos unimos de vez para pressionar os empresários, ou será cada vez pior.

      À luta,
      Sindppd/RS

  18. Mateus 26 fevereiro, 2020 - 21:09 à 21:09

    Legal 2,5% : PIADA – nem repõe inflação, só a gasolina e comida já subiram mais de 10 ou 15% no ano… Isso é menos que um rendimento da poupança que dá 3%… SINDICATO proteger o trabalhador? Uma OVA!

  19. Daniel Magnabosco 27 fevereiro, 2020 - 15:05 à 15:05

    Boa tarde, não consegui localizar na ata a questão da redução da carga horária para 8 horas diárias . Existiu algum avanço sobre o assunto ? Na minha visão esse ponto é mais importante que o reajuste salarial, que sempre é a reposição da inflação. É inaceitável que o RS pratique essa carga horária, diferente de todo o restante do pais. No meu caso, a filial da minha empresa no Paraná , trabalha 8 horas por força da CCT e nós do RS temos que trabalhar 08:48. Isso beira o absurdo.

  20. Eduardo 28 fevereiro, 2020 - 17:18 à 17:18

    Boa tarde, precisamos seguir firmes na ideia de 8 horas diárias, temos várias empresas que já seguem as 40 horas semanais, o que pra mim é um benefício muito melhor que um ajuste de 2,55%, entendo que é a inflação, mas precisamos seguir firmes, pois todo ano é debatido o mesmo tema e acabamos saindo apenas com a inflação e mendigando meio percentual aqui e ali.

    Firmes e forte sindppd!!!! precisamos nos manter nas 40 horas, estarei presente na assembleia.

  21. Diego 2 março, 2020 - 10:14 à 10:14

    Por que o SINDIPPD/RS aceita que na SEXTA reunião o sindicato patronal ainda alegue que não fará proposta alguma por não ter feito assembleia?
    Ora, não se sabe que TODO ANO a data-base é novembro? Por que aceitar esse argumento furado em tantas reuniões inúteis se a estratégia do SEPRORGS de protelar é clara?

    Outra: qualquer juiz do TST arbitraria reajuste de reposição da inflação e manutenção do que já está acordado na CLT.
    Ou seja, o resultado prático da atuação do sindicato é nula (não aceitar reduzir direitos é o mínimo que se espera, o SEPRORGS não pode “empurrar” goela abaixo unilateralmente, e nenhum juiz do TST arbitraria isso).

    • sindppd 6 março, 2020 - 12:25 à 12:25

      Diego,

      aceitar, não aceitamos. Achamos um absurdo. Mas e qual é o poder de pressão que o sindicato tem para negociar com o SEPRORGS, além de fazer cara feia na mesa e discutir? Já apresentamos dados econômicos, que inclusive o próprio SEPRORGS tem, mas não quiseram reajustar naquele momento. Fazemos o que para pressionar os empresários? Temos base organizada e com disposição para se mobilizar, atrasar a entrada nas empresas, atrasar projeto, fazer ato e manifestação ou quem sabe até mesmo greve? Para pressionar as chefias nos locais de trabalho? A experiência nos mostra que é a ação CONCRETA e real que realmente pressiona os empresários para aumento de salário e melhorias nas condições de trabalho. A categoria em SP reduziu a jornada de trabalho para 40h semanais com greve.

      É importante lembrar que o reajuste salarial, nem pela inflação, não é obrigatório por lei. Os sindicatos e trabalhadores conseguem nas negociações com as patronais. Além disso, a nossa CCT (Convenção Coletiva) tem mais direitos e benefícios do que a CLT prevê, por isso é que temos cuidado em entrar na Justiça e chegar a um dissídio coletivo, pois dependendo da situação, se for a julgamento, podemos obter o reajuste salarial mas perder direito da CCT em alguma cláusula que seja mais benéfica do que o previsto pela CLT.

      A vida não está nada fácil. Ano passado, o sindicato de SP foi à dissídio na Justiça para conseguir o INPC. Neste ano, a negociação está sendo mediada pela Justiça novamente.

      O que queremos dizer com isso é que precisamos nos organizar aqui no RS. Os trabalhadores precisam participar do sindicato, vir nas assembleias, discutir, ter ideias. Fazermos reuniões nas empresas com os colegas.

      Achar que a solução está nas mesas de negociação com o SEPRORGS é um erro que apenas nos desgasta.

      Vamos juntos, colega!

      Sindppd/RS

      • Ricardo Medeiros 6 março, 2020 - 14:19 à 14:19

        Ta ai um comentário sensato…

      • Rafael 6 março, 2020 - 18:19 à 18:19

        Poxa, qual poder de pressão? Vocês são um Sindicato ou um bando de cordeiros? Paralisação e Greve ora. Nunca vi, não sabem organizar uma paralisação sequer.

        • sindppd 10 março, 2020 - 12:08 à 12:08

          Rafael,

          sabemos organizar, mas o problema é quem faça. Entra em contato com a gente e vamos ver a possibilidade de começar a reunir os teus colegas etc. Organização tem que começar nos locais de trabalho.

          À luta!

          Sindppd/RS

  22. Ricardo Medeiros 5 março, 2020 - 12:33 à 12:33

    Torcer para a proposta vir alguma coisa boa…
    Só perder, perder, não dá mais…
    E como dissestes num comentário, o setor de tecnologia continuando expandindo e enchendo o bolso dos empresários de dinheiro… já o trabalhador……..

  23. Marcos 6 março, 2020 - 8:41 à 8:41

    Não podemos abrir mão de um aumento real no salário, e outro assunto que muito me interessa é sobre o valor de reembolso por km rodado para quem atende com carro particular… este valor ainda está sendo debatido ou não houve contrariedade deles sobre o valor porposto? Recebo na minha empresa um valor que mal cobre o combustivel e eles não aumentam dizendo que é o praticado pela empresa.

  24. Graziele 7 março, 2020 - 23:07 à 23:07

    Conforme ja citei em outro momento, o setor privado não é como o público e vcs sabem disso melhor do que ninguém, como podem sugerir que façamos greve?? ?? Se é para chegarmos ao final das 999 mesas de negociação e ter o valor do inpc de novembro, aceitem logo na primeira reunião, desta forma nao ficamos nessa ansiedade achando que receberemos algo diferente, evitará desgaste de ambos os lados. Querem negociar manutenção de clausulas e direitos, façam isso no decorrer do ano, em Novembro tratem do reajuste, agilizaria o processo.

    • sindppd 10 março, 2020 - 12:20 à 12:20

      Pois é, Graziele, mas os maiores avanços foram conquistados com mobilizações fortes e greve. O setor privado de TI de São Paulo conquistou as 40h semanais para toda a categoria com greve, por exemplo.

      A repressão das empresas a quem se organiza e luta é real, mas se quisermos avançar, vamos precisar nos mobilizar aqui no RS. Se a categoria aqui no RS acha impossível se organizar e fazer qualquer coisa, bom, então sejamos justos com nós mesmos e paremos de ficar responsabilizando apenas o sindicato pelo pouco avanço nas negociações, que são extremamente limitadas nas mesas com os empresários.

      Para esclarecer: o SEPRORGS não ofereceu o INPC na primeira mesa, então não tínhamos o que aceitar. Os empresários submeteram reajustar o INPC SE nós aceitássemos negociar perda de direitos. E para os empresários negociarem demais cláusulas e direitos fora da campanha salarial, só de for para retirar.

      Não precisa ficar ansiosa pois, se a gente não começar a se mexer para pressionar, das mesas de negociação pouco sairá além do INPC. A força não está nas mesas de negociação e sim na organização e na mobilização dos trabalhadores para fazer pressão por melhores salários e condições de trabalho.

      Se puderes, venha para a assembleia. Vamos conversar melhor.

      À luta,
      Sindppd/RS

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br