Quase metade dos domicílios brasileiros tem computador

Setor Privado 2017/2018: Sindppd/RS oficializa proposta no TRT em busca de solução para o impasse

36 4586
image_pdfimage_print

 

Sindicato apresentou proposta construída a partir da assembleia dos trabalhadores de 18 de Setembro, em que pede reajuste nos salários e nos benefícios e mantém direitos. Agora, depende do SEPRORGS se dispor a fechar acordo. Próxima mediação no tribunal está marcada para 30 de Outubro, às 16h, no TRT em Porto Alegre (RS).

 

 

Representantes do Sindppd/RS e do SEPRORGS (sindicato dos empresários da TI no RS) estiveram presentes na mediação, que aconteceu cedo da manhã desta 5ª feira (18/10) na Capital. A reunião foi conduzida pelo desembargador e vice-presidente do TRT, Ricardo Carvalho Fraga, e contou com a participação do procurador do MPT (Ministério Público do Trabalho), Paulo Eduardo Pinto de Queiroz.

 

CLIQUE AQUI para acessar a ata

 

 

Sindppd/RS busca fechar duas datas-base e evitar mais desgastes para a categoria

Devido estarmos muito próximos a Novembro, quando começa a próxima negociação, o Sindppd/RS, preocupado com o longo tempo das campanhas salariais, levantou na mediação desta quinta-feira a proposta de buscar fechar a Convenção também com a reposição salarial e nos benefícios para o ano de 2018.

Logo no início, o nosso sindicato apresentou uma proposta ao sindicato patronal, construída a partir da assembleia de trabalhadores que realizamos em 18 de Setembro e com a contribuição de sugestões enviadas pelos colegas ao Sindppd/RS. Já o SEPRORGS apresentou sua posição nos itens sobre as homologações e banco de horas e contrapôs índices de reajuste menores, sem especificar valores, conforme consta na ata da mediação.

Após as primeiras tratativas, a reunião teve um breve intervalo. O Sindppd/RS aproveitou para conversar e montar uma nova alternativa, sempre buscando a solução do impasse e também na tentativa de fechar a próxima data-base, que inicia daqui a 12 dias, em 1º de Novembro. Esta última proposta será levada, pelos representantes do SEPRORGS, para apreciação interna.

 

 

A proposta do Sindppd/RS, oficializada na mediação de hoje no TRT:


#
ECONÔMICO

REAJUSTE de 1,83% (INPC) para os salários e demais itens econômicos, retroativo a 1º de Novembro de 2017, referente à Campanha Salarial 2017/2018, que é a que ainda está em aberto. Os tíquetes teriam tratamento a parte.

REAJUSTE pelo INPC para a data-base 2018/2019, que inicia em 1º de Novembro de 2018. O INPC do período será conhecido na segunda semana de Novembro. Para se ter uma ideia, em Outubro o índice fechou em 3,97%.

AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO de R$ 22,00, a contar da data do fechamento do acordo para as 2 datas-base, sem retroativo. O valor de R$ 22,00 fica acima da reposição da inflação

 

 

# Sobre BANCO DE HORAS

Banco de Horas inferior a 4 meses não precisa passar pelo sindicato;

NO ENTANTO, deve respeitar o limite de 40h extras MENSAIS, para quem tem jornada de 40h ou 44h semanais. Para quem tem até as 36h semanais, o limite é de 30h extras MENSAIS

 

 

# HOMOLOGAÇÃO DOS CONTRATOS DE TRABALHO

– Serão realizadas OBRIGATORIAMENTE no sindicato as homologações do contrato de trabalho com prazo ACIMA de 1 ano e limitado a quem recebe acima de R$ 5 mil reais. Nos outros casos, ficará livre para as empresas e trabalhadores optarem.

 

 

# Renovação das demais cláusulas da nossa CCT (Convenção Coletiva de Trabalho)

 

 

Ficou marcada uma próxima mediação para 30 de Outubro (terça-feira), às 16h, no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) em Porto Alegre (RS).

Agora, está nas mãos do SEPRORGS a condição de fechar o acordo, encerrando assim praticamente 1 ano inteiro de negociações desgastantes. A proposta do Sindppd/RS e dos trabalhadores busca dialogar com as questões que os empresários colocaram desde o início das reuniões com o nosso sindicato e também garantir a REPOSIÇÃO DA INFLAÇÃO oficial, que todos sabemos que está estimada abaixo da realidade econômica em que a população vive.

Os trabalhadores estão 1 ano com seus salários e benefícios defasados, tirando dinheiro do próprio bolso para sobreviver. Está mais do que na hora de encerrarmos a campanha salarial. Repor a inflação e garantir direitos básicos é o MÍNIMO que deve ser feito.

 

À luta, colegas da TI!

 
Sindppd/RS

 

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

36 Comentários

  1. Roberto 18 outubro, 2018 - 18:54 à 18:54

    Sindicato, não entendi. aumento do auxílio alimentação sem retroativo? Mas assim não dá. Perderemos como sempre? Isso é um acordo muito amigável….

  2. Alexandre 18 outubro, 2018 - 20:32 à 20:32

    “– AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO de R$ 22,00, a contar da data do fechamento do acordo para as 2 datas-base, sem retroativo. O valor de R$ 22,00 fica acima da reposição da inflação”. Como assim, SEM RETROATIVO? Ou seja, o que passou, ja era? Não receberemos a diferença do que temos hoje para o que será reajustado como foi numa outra ocasião? E colocarem essa ideia de juntar o outro dissidio, pode ser uma boa desculpa para não aceitarem e emperrarem de novo. Mas essa do vale refeição deveria ser retroativo e os funcionarios receberem a diferença nem que fosse em 6x.

  3. Augusto 18 outubro, 2018 - 21:11 à 21:11

    Eu li bem ou esperamos um ano para fechar apenas o INPC no salário e não ganhar nem o retroativo nos tickets ??? ahhhhh. Fala sério …

  4. TI 19 outubro, 2018 - 9:06 à 9:06

    1,83% depois de praticamente 1 ano, se for uma piada não teve graça nenhuma.

    o INPC de 2017 não foi 2,06?

    A inflação de 2017 foi de 2,95.

    E conseguem menos que isso.

    #Não_me_representa

    • sindppd 19 outubro, 2018 - 14:16 à 14:16

      Não, o INPC foi 1,83%. O índice de 2,95% foi o IPCA, outro índice. No site do IBGE tem todas as séries históricas de cada índice.

      Att. Sindppd/RS

      • André de Melo Marinho 30 outubro, 2018 - 16:57 à 16:57

        E quanto ao retroativo dos vales e retroativos do salário? Vamos perder? É para isso que querem que paguemos o impostos sindical??

        • sindppd 1 novembro, 2018 - 11:50 à 11:50

          André, favor reler a matéria, pois está bem explicado. Em relação ao imposto sindical, já faz 1 ano que a Reforma Trabalhista acabou com ele. As formas de arrecadação do sindicato são estas: http://www.sindppd-rs.org.br/nossas-receitas/

          Att. e à luta, Sindppd/RS

  5. Cesar 19 outubro, 2018 - 9:21 à 9:21

    Bom dia
    Pessoal do sindicato estão de brincadeira né? 1,83% sem retroativo? PELA MOR DE DEUS, NO MINIMO DOS MINIMO 2% E O VALOR RETROATIVO.
    Estão achando que somos palhaço? eu não sei o que faço aqui sempre escrevendo contra esses absurdo e nunca muda nada.
    Proposta do reajuste 2018/2019 estou de acordo.

    Sindicato cade o sistema de voto online para o pessoal do interior????? essa proposta aí não pode passar.

  6. Janderson Oliveira 19 outubro, 2018 - 9:35 à 9:35

    Que belo acordo esse sindicado fez, todo ano é a mesma coisa o SEPRORGS não aceita o dissidio e fica protelante até quase chegar a próxima campanha dai o pessoal aceita qualquer coisa. Temos que parar com isso as empresas ganham muito em cima de nós trabalhadores de T.I. E outra coisa temos que melhorar as classificações das categorias porque só tem classificação para a área de Programação e resto fica tudo dentro de operador de computador. E 1400 de base é piada.

  7. Marcos 19 outubro, 2018 - 15:46 à 15:46

    O Seprorgs querendo oferecer menos que o INPC, não cita reajuste de vale refeição, e ainda quer parcelar o retroativo do dissídio, além, é claro, de conseguir mudar as cláusulas de banco de horas e homologação.

    Vai o SindPPD e oferece isenção de dissídio para o VR, e só o retroativo do INPC (míseros 1,83%), sem citar a palavra “pagamento em parcela única”. E na próxima campanha coloca só o INPC do período (sem nenhuma proposta de aumento real), além, é claro, praticamente manter as mudanças pedidas pelo Seprorgs.

    Concordo que negociar com o Seprorgs seja uma merda, pois o judiciário lava as mãos para a má fé do sindicato patronal. Mas convenhamos… abrir mão até do retroativo do VR? Poderiam deixar isso para um último instante, mas não sair oferecendo isso agora antecipadamente.

    Na boa, se o Seprorgs não aceitar essa maravilhosa proposta do SindPPD, devemos esquecer o dissídio definitivamente.

    • sindppd 19 outubro, 2018 - 16:24 à 16:24

      Marcos,

      nossa proposta não é os 1,83% no VR. E “abrimos mão” do retroativo no VR porque o valor que estipulamos, R$ 22,00, é mais alto do que o reajuste pela inflação. Fizemos um post aqui nos comentários sobre esta questão, vistes?

      Att. e à luta,
      Sindppd/RS

  8. sindppd 19 outubro, 2018 - 16:06 à 16:06

    Colegas,

    em relação ao vale, o valor de R$ 22,00 que sugerimos representa um reajuste de 16%, bem maior do se pedíssemos pelo somente o INPC dos 2 anos (1,83% e em torno de 4%). Além disso, com esse valor poderemos recuperar, em poucos meses, o retroativo à data-base que, se fosse reajustado somente pelo INPC (1,83%), daria em torno de R$ 105,00, considerando 25 tíquetes por mês. E ainda será um feito importante pois, após recuperar o retroativo, o tíquete prosseguirá valorizado.

    Foi isso o que consideramos ao propor o valor de R$ 22,00.

    Se os empresários aceitarem, será um ganho à categoria, em nossa avaliação. Mas ainda não sabemos qual a resposta será dada pelo SEPRORGS.

    Sindppd/RS

  9. Graziele 19 outubro, 2018 - 18:31 à 18:31

    Quanto a proposta para encerrarmos a campanha do ano passado ok, entendi, inclusive gostaria de parabeniza-los pela maturidade em aceitar novos termos para as homologações e banco de horas, agora o seprorgs nao podera usar essa desculpa para nao negociar/fechar o acordo. Nao entendi a nova campanha, voces sugeriram o mesmo indice 1,83% de reajuste?

    • sindppd 22 outubro, 2018 - 17:24 à 17:24

      Não, Graziele. Para esta campanha que está para iniciar sugerimos o INPC, que ainda não tem o índice fechado; este será determinado no final de Outubro pelo IBGE. Portanto, apenas saberemos em quanto o INPC da nossa data-base irá fechar no final de Outubro, com divulgação em início de Novembro pelo IBGE, mas prevemos que seguirá a tendência dos meses anteriores, ficando em torno de 4%.

      Att. Sindppd/RS

  10. Rodrigo 19 outubro, 2018 - 23:14 à 23:14

    Haviam comentado que já nesta medicação falariam sobre a carga horária de 40h e não vi nada nesta postagem. Como ficou este assunto? Estão a 1 ano brigando por 1,83% de reajuste e nada! É um valor tão ridiculo que eu abriria mão dele se conseguissem as 40h semanais. Qualidade de vida acima de um reajuste ridículo de 1,83%. Faz anos que o sindicato foca apenas em reajustes salariais e esquecem que podem negociar de outra maneira.

    • sindppd 23 outubro, 2018 - 12:21 à 12:21

      Rodrigo,

      não esquecemos de forma alguma a redução para as 40h semanais e ela consta na pauta e em nossas reivindicações mas mesas de negociação. A questão é que o SEPRORGS sempre se nega a negociar esta pauta. Mesmo assim, pretendemos retomar as negociações em relação a ela futuramente com a patronal, se conseguirmos, pois dependemos do interesse dela em querer negociar também.

      Att. Sindppd/RS

  11. Pedro 20 outubro, 2018 - 17:01 à 17:01

    E quem não está mais trabalhando então não vai ganhar nada do VR e se dê por perdido? É isso? Caso de processo isso. Um ano defasado e ainda sem retroativo!
    Piada esse sindicato! Como apoiar uma idiotice dessa? Mesmo quem ainda está trabalhando, mas se for demitido em 2 meses após o dissídio, só terá recebido 2meses de vales… ou seja perdeu também de todo um ano atrás.
    Lamentável. Não foi pensado nos trabalhadores essa proposta!!

    • sindppd 24 outubro, 2018 - 11:10 à 11:10

      Os retroativos nos salários pelo menos estão garantidos, Pedro.

      Att. Sindppd/RS

  12. BRUNA 22 outubro, 2018 - 7:44 à 7:44

    Não acredito que demoraram 1 ano para, ter um reajuste tão baixo, e não ter reajuste de VR, agora precisamos nos unir contra o desconto sindical que temos todo ano, se é para ter esse tipo de reajuste é melhor não ter nada e não ser descontado anualmente, 1 dia de trabalho.

    • sindppd 23 outubro, 2018 - 12:16 à 12:16

      Bruna,

      a Reforma Trabalhista acabou com a CONTRIBUIÇÃO SINDICAL (antigo imposto sindical), que era o desconto obrigatório de 1 dia de trabalho, já faz quase 1 ano. Informações sobre as fontes de arrecadação financeira do sindicato neste link: http://www.sindppd-rs.org.br/nossas-receitas/

      A proposta que fizemos para o VR tem, inclusive, um reajuste mais alto que se fosse para o INPC. Já respondemos essa questão aqui nos comentários, se tiveres interesse podes procurar.

      Att. e à luta,
      Sindppd/RS

  13. João 22 outubro, 2018 - 10:52 à 10:52

    uma dúvida:

    vocês falam em 1,80% de reajuste que é o INPC, mas esse percentual é o acumulado em todo o ano de 2017, não deveria ser considerado o acumulado dos últimos 12 meses que é de 1,94%?

    se for só do ano, o do mês de dezembro de cada ano não entra no cálculo, é isso?

    mês/ano índice do mês acumulado no ano acumulado últimos 12 meses
    Nov/2017 0,18 1,8022 1,9448

    • sindppd 23 outubro, 2018 - 12:12 à 12:12

      Sim, João,

      mas o que recebemos de reajuste é sempre do que já passou e não do que irá passar. Sendo assim, o índice de inflação da nossa data-base, na referida questão, é o de OUTUBRO/2017, que foi divulgado no início de Novembro/2017 e marca o que a nossa categoria perdeu de 1º de Novembro de 2016 a 31 de Outubro de 2017.

      Pode parecer um pouco confuso, mas é isso mesmo.

      Att. Sindppd/RS

  14. Jessica 22 outubro, 2018 - 13:18 à 13:18

    Essa data da próxima reunião bem depois do 2º turno…

  15. Carlos 22 outubro, 2018 - 13:49 à 13:49

    Boa tarde,

    O índice de reajuste seria 1,83 ou o total informado na ata, 6,8?

    Obrigado pelo esforço empenhado nas negociações.

    • sindppd 24 outubro, 2018 - 11:08 à 11:08

      Carlos,

      o percentual de 6,8% é a soma dos percentuais das duas data-base (1,83%, Campanha 2017/2018; e 4,97%, estimando o INPC da Campanha 2018/2019 que ainda não está fechado). Isso, levando a consideração o fechamento das duas campanhas.

      Estamos na luta!

      Sindppd/RS

  16. Dissidio-Retroativo 22 outubro, 2018 - 16:32 à 16:32

    Prezados,

    Creio que depois de ceder diversos pontos nesse dissídio, as 40 hs se fazem mais necessárias agora.

    Att
    Dissídio-Retroativo

  17. Igor 24 outubro, 2018 - 10:07 à 10:07

    Bom dia!

    Após a conclusão do acordo, qual é o prazo para a empresa implementar as novas condições de trabalho?

    Percebo que estamos nos aproximando do final do ano as datas são bem apertadas fico na duvida se há tempo hábil para implementar os benefícios ainda este ano. O que seria bom, visto que não temos aumento tem bastante tempo.

    Obrigado

    • sindppd 24 outubro, 2018 - 10:58 à 10:58

      Bom dia, Igor,

      o prazo também faz parte da negociação, mas queremos que seja imediatamente.

      Att. Comunicação Sindppd/RS

  18. Gabriel P. Martins 25 outubro, 2018 - 2:29 à 2:29

    O negócio é fazer greve geral, parou a TI, parou tudo, hoje não há lugar onde a TI não seja a base de sustentação de uma empresa, o momento que nós pararmos em uma greve geral mesmo que pequena, seremos realmente visto como profissionais de valor em qualquer área dentro da TI. Com essas condições de negociação, parece que alguém da patronal redigiu e entregou ao Sindippd-RS para fazer a proposta ao SEPRORGS.

    Precisamos ser mais fortes e sérios na investida, e se tivermos que parar para conquistar algo que seja no mínimo decente e aceitável, deveríamos parar então.

    Será aí então que a frase “Estamos na luta!” vai realmente fazer algum sentido.

    • sindppd 25 outubro, 2018 - 12:08 à 12:08

      Gabriel,

      se o SEPRORGS tivesse redigido a proposta por nós, como levantas de forma irresponsável e desrespeitosa com a gente, teria vários outros direitos sendo retirados e, talvez, nem o INPC estivesse na íntegra. Quando tiveres tempo, veja outros textos nossos no site. Ligue aqui para o sindicato, converse com a nossa Secretaria e/ou diretores. Se puderes, venha em alguma assembleia aqui na sede para nos conhecer e falar com a gente. Verás que somos sérios e não estamos brincando.

      No mais, concordamos com tudo e estamos junto! Tá mais do que na hora de nos organizarmos, nos juntarmos e nos mobilizarmos. Os únicos que ganham com a nossa desunião são os empresários e o SEPRORGS.

      Sindppd/RS

      • Rafael 25 outubro, 2018 - 18:20 à 18:20

        E quanto a greve mencionada pelo colega? Algum posicionamento? O Sindicato não organiza, por que motivo?

        Explicar para o entendimento geral facilita e evita comentários impertinentes.

        O que é necessário para uma paralisação? E para uma greve da categoria? Pois creio que apenas uma paralisação com indicativo de greve já iria ajudar a pressionar o patronal.

        • sindppd 26 outubro, 2018 - 11:42 à 11:42

          Rafael,

          precisamos de trabalhadores que estejam dispostos a entrar em greve. Já fizemos em algumas empresas, as mais recentes foram na STEFANINI e na PLANSUL, porque os trabalhadores estiveram junto e quiseram fazer. Mas de forma geral, mesmo com o limite de realizarmos as assembleias em Porto Alegre (no caso de quem trabalha na região metropolitana ou mora no interior não poder vir ao sindicato), pouquíssimos colegas aparecem. Essa situação serve, pelo menos, para tirar uma temperatura do ânimo dos colegas.

          Estamos num esforço de que os trabalhadores de TI se dêem conta de que são trabalhadores (mesmo sendo PJ’s ou outro tipo de contrato); de que apenas se organizando é que conseguiremos avanços; e de que o sindicato é um instrumento importantíssimo para essa organização e para a mobilização dos trabalhadores. Enquanto o individualismo imperar na nossa categoria; enquanto os colegas acharem que sozinhos conseguem negociar melhorias com os empresários, por exemplo, dificilmente mudaremos essa situação. E tudo vem para reforçar esse individualismo: a reforma trabalhista, que retira direitos e quis acabar com a organização sindical; o desemprego em alta, que faz as pessoas terem mais medo e ficarem recuadas.

          Por isso que, ao nosso ver, o momento é de RESISTÊNCIA e de ORGANIZAÇÃO da nossa categoria. Nosso chamado aos trabalhadores é este. Estamos aqui, temos sede, telefone e internet para contato; podemos ir nas empresas para conversar com os trabalhadores, estamos totalmente à disposição para nos locomover e ir até o local. Mas para isso, é preciso ter interesse e vontade dos colegas também.

          Att. Sindppd/RS

          • Rafael 29 outubro, 2018 - 16:03 à 16:03

            Entendo que a logística não é a ideal, mas é a possível. Se em assembleia (mesmo com os problemas do interior não participar) creio que os colegas presentes aprovem, uma vez da decorrência de um ano de atraso na atual campanha. Independente dos ânimos, que entendo possa ser incentivados pela postura do Sindicato e não o contrário, seria possível uma paralisação da categoria no sentido de pressionar o patronal. A confiança do patronal em não ter consequências aos seus desmandos torna a negociação mais fácil. Eles emperram todas as negociações e não tem consequências por isso. Entendo que o Sindicato posicionando e instigando paralisação com indicativo, votando em assembleia pressiona sim a classe a se manisfestar e o patronal a ceder.

            Att.

          • Gabriel P. Martins 1 novembro, 2018 - 9:23 à 9:23

            Nunca teremos uma presença de 100% de pessoas em greve, pois como nem todos entendem direito como funciona, temem por seu emprego. Acredito que o sindicato deveria agir conforme exemplos que temos de grandes sindicatos de outras categorias como o sindicato dos bancário e dos metalúrgicos, onde representantes dos sindicatos vão até as empresas e impedem os trabalhadores de entrar, eu mesmo passei por isso trabalhando em cliente, quando tivermos esta postura e não sermos mais um sindicato passivo à Patronal teremos notoriedade!!

  19. Clayton 25 outubro, 2018 - 9:56 à 9:56

    1,83% e ainda não é oficial, semana que vem fecha um ano, ainda aposto que vamos receber isto ano que vem, ja que sempre é marcada uma reunião para remarcar outra, e nada se resolve.

  20. Marcos 30 outubro, 2018 - 9:34 à 9:34

    Minha contribuição sindical foi furada!
    Sempre falaram que o sindicado sempre olhou para o próprio umbigo …..
    valor do reajuste é ridículo, reajuste do vr sem retroativo é mais ridículo ainda.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br