SERPRO – SERPRO e DATAPREV na berlinda da PRIVATIZAÇÃO?

0 1233
image_pdfimage_print

 

Na 6ª feira passada (26 de Julho), a Regional Porto Alegre recebeu a visita do secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel. Como é de conhecimento público, os cargos importantes, abaixo do ministro Paulo Guedes, são de grandes empresários que lucraram milhões: Uebel e o secretário especial de Desestatização e Desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar (ex-CEO da empresa de locação de automóveis Localiza). Eles têm uma missão muito nítida, a de privatizar tudo o que for possível, custe o que custar e não se importando com os prejuízos que isso possa gerar à soberania e à população do país. O presidente do SERPRO, Caio Mario Paes de Andrade, não foge à esta regra: é também um grande empresário!

Os milionários e bilionários não têm pátria, seus interesses são os do grande capital nacional, ligados aos do capital internacional. E é isso o que o Governo Bolsonaro representa. Em apenas 8 meses de governo, o Brasil já entregou o controle da BR Distribuidora e está para abrir mão do controle das empresas de energia. Outra privatização a caminho é a dos CORREIOS, e assim o tema se aproxima cada vez mais da nossa categoria, pois SERPRO e DATAPREV estão na mira das gigantes da TI mundial.

E nem o meio ambiente escapa da ânsia por dinheiro, já que o presidente Bolsonaro, inclusive, já afirmou nos últimos dias que pretende entregar a Amazônia para exploração mineral dos Estados Unidos.

A situação é muito grave! No caso do SERPRO, Uebel ou o presidente da empresa não dirão toda a verdade se forem cobrados, pois não há interesse em antecipar suas decisões. Podem vender a ilusão de que o SERPRO abra o capital e passe a distribuir lucros, frente ao que os ouvidos mais afoitos pensem que ganharemos mais dinheiro. Mas, na verdade, o desmonte da empresa só interessa aos grandes empresários, e é por isso que eles estão no governo. A privatização total ou parcial das empresas públicas brasileiras, um patrimônio inestimável que até hoje garantiu a soberania do país, interessa a eles pois abre mais mercado às empresas deles, e o governo terá mais dinheiro em caixa para repassar aos empresários via empréstimo ou benefícios fiscais.

 

 

O país retrocede a passos largos para se tornar novamente uma grande colônia de exploração. Uma tragédia para o povo brasileiro e para os trabalhadores

Já perdemos uma boa parte dos direitos trabalhistas; estamos a caminho de perder direitos previdenciários e o acesso à aposentadoria. Essas duas reformas não bastaram para os vis interesses dos grandes empresários, então agora vem a chamada minirreforma trabalhista (MP da Liberdade Econômica/ MP 881/2019). O Governo Bolsonaro defende as novas alterações, afirmando que irá gerar mais emprego – mesmo discurso utilizado pelo ex-presidente Michel Temer em 2017 para aprovar a Reforma Trabalhista, que na verdade impactou em mais de 3 milhões de desempregados e, as poucas vagas de trabalho criadas são em condições precárias, salários rebaixados e nenhum direito.

Quando esta condição passar a ser a regra, por que este governo manterá os trabalhadores do SERPRO com seus direitos e salários, se pode pagar bem menos ao empregar a terceirização em massa, ao privatizar ou, ainda, ao abrir o capital?

É necessário compreender o que se passa no país e em nossa empresa antes que seja tarde. Quem pode defender o SERPRO e a soberania do nosso país somos nós, trabalhadores. Se o ataque vier, será rápido e não seremos consultados!

 

 

À luta, colegas do SERPRO. Sempre!

 

 

Sindppd/RS

 

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br