SERPRO: PLR para os trabalhadores X RVA para os diretores das empresas públicas, quais as diferenças e semelhanças

0 62
image_pdfimage_print

 

Caso você não saiba, no SERPRO, assim como nas outras empresas estatais, o programa da PLR  não abrange a todo o quadro, pois estão excluídos os diretores da empresa. Para a diretoria, o programa de distribuição dos lucros se chama RVA (Remuneração Variável) e tem outros parâmetros bastante diferentes em relação ao conjunto dos trabalhadores.

Mas tem um detalhe que é fundamental: a diretoria não pode receber o RVA se não cumprir alguns requisitos, e um deles é este: “VI – Pagar Participação nos Lucros e Resultados – PLR aos empregados”. Acreditamos que este seja um forte motivo, dentre outros, para a intensa pressão que a empresa fez, por duas semanas, para tentar aprovar sua proposta de PLR, mesmo sem ter negociado com a representação dos trabalhadores – e apesar de ter excluído mais de 3 mil colegas.

Outra grande diferença é que o valor a ser pago tem parâmetros completamente diferentes dos nossos. Em média, nas empresas estatais as informações que temos é de que a RVA pode ser de 4 a 8 salários dos diretores das estatais. Calculando a média dos salários dos diretores, que pode chegar a R$ 40 mil, dá para ter uma ideia do tamanho dos ganhos que cada um poderia vir a ter. Não sabemos qual o teto máximo de valores previsto para os diretores do SERPRO, mas sabemos que o assunto foi definido pelas instâncias da empresa conforme ata de diretoria de 2018.

É importante que saibamos de todos os temas que estão envolvidos no debate da PLR, especialmente na situação que estamos vivendo de ameaça iminente de desmonte total ou parcial, terceirização e privatização deste patrimônio que é a nossa empresa, construída por décadas, para chegar onde chegou. Uma empresa com trabalhadores qualificados, uma empresa que garante continuidade nos serviços mesmo quando o governo não paga, uma empresa que guarda os dados fundamentais do país com o zelo necessário.

Vale lembrar também que o pagamento de PLR é parte das metas para buscar rentabilidade de uma empresa em processo de privatização.

Nossa vida funcional está intimamente ligada à empresa pública SERPRO, e apesar de sabermos que toda a remuneração é muito bem vinda, não podemos cair em armadilhas que poderão nos derrotar ali adiante.

 

NÃO À PRIVATIZAÇÃO DO SERPRO E DA DATAPREV!

EM DEFESA DA SOBERANIA TECNOLÓGICA BRASILEIRA!

 

 

Sindppd/RS

 

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br