Quase metade dos domicílios brasileiros tem computador

SETOR PRIVADO – SEPRORGS usa de ameaças e chantagens para destruir a Convenção Coletiva dos Trabalhadores de TI

4 1395
image_pdfimage_print
 
Quem não deve, não teme, diz o ditado, mas parece que não é esta a situação atual do Sindicato dos Empresários. Na leitura da ata VEJA AQUI, dá para ter uma ideia do que pretendem os empresários, ACABAR COM A CONVENÇÃO COLETIVA.
 
Não apresentaram NENHUMA resposta as reivindicações dos trabalhadores, mas a retirada de direitos da Convenção continua valendo e cada vez com mais força. Na ata da negociação passada já haviam apresentado VEJA AQUI, mais de uma dezena de itens. 
 
Na reunião desta quinta-feira, 11/01, o SEPRORGS focou nos principais itens que querem excluir da CCT
–  o fim da cláusula 74ª que garante a manutenção da CCT enquanto não houver outra assinada; 
– o fim da cláusula 25ª que prevê que as homologações sejam feitas no Sindppd/RS;
– liberdade para fazer o Banco de Horas como prevê o texto da Reforma Trabalhista.
 
Porque será que estas três últimas cláusulas são “tão caras” para o SEPRORGS, se eles dizem que não querem retirar nenhum direito, dizem que são contra os maus empresários? A resposta é simples, porque não são verdadeiras as afirmações dos empresários, porque na verdade o empresariado que não aceita negociar as 40h, quer agora, após a Reforma Trabalhista, retirar direitos históricos dos trabalhadores da TI.
 
Mas os ataques não se resumem ao fim destas cláusulas. Eles escreveram que, mesmo a Convenção estando em vigência, passarão a NÃO cumprir com estes três itens. O argumento deles para não cumprir não corresponde com a Verdade, pois a malfadada Reforma Trabalhista tem um item que diz: “o negociado prevalece sobre o legislado”, isto é, tudo o que for negociado entre as partes pode estar na Convenção Coletiva. Isso aconteceu nas campanhas salariais da Procempa e Procergs, então não podem ser ilegais como diz o SEPRORGS. 
 
Outra grande farsa é esta estória que criaram de que o Sindppd/RS está retardando as negociações. Esqueceram de escrever, mas os lembramos nos registros da ata de ontem, de que quando o INPC estava em dois dígitos eles ficavam até dois meses sem querer marcar reunião ou marcavam simplesmente para enrolar a categoria e fazer de conta que estavam negociando. Agora com a Reforma Trabalhista estão se achando “todo poderosos” e mais realistas do que o Rei. 
 
As posturas inaceitáveis do SEPRORGS e a tentativa de DESTRUIR a CCT, nossa convenção coletiva, mas eles podem ter certeza de que a resistência só cresce na categoria. Não abriremos mão dos direitos dos trabalhadores, da luta pelas 40h e por recomposição nos salários e benefícios.
 
Quanto à ameaça de descumprimento da Convenção Coletiva, já estamos avaliando juntamente com o jurídico do sindicato medidas a serem tomadas.
 
 

Um lembrete a todos os trabalhadores de todas as empresas, de que todas as homologações de rescisões seguem “obrigatoriamente, por assim estar estabelecido na CCT- Convenção Coletiva de Trabalho vigente, tem de serem feitas no Sindppd/RS, conforme já divulgamos. 

 

 

 

Sindppd/RS

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

4 Comentários

  1. Trabalhador 12 janeiro, 2018 - 14:34 à 14:34

    Vão pra casa, pelegos! Parem de se intrometer na vida dos trabalhadores. As suas ações causam desemprego!

  2. Luis 17 janeiro, 2018 - 13:19 à 13:19

    Sem drama. Registrem em ata que novamente eles não ofereceram nenhuma resposta à proposta apresentada pelo sindicato e que a negociação não está ocorrendo e que o sindicato está vendo um impasse. Depois ajuízem a questão (procurem uns advogados de verdade para fazer).

  3. Elis 24 janeiro, 2018 - 12:48 à 12:48

    Porque não fazem esta reunião ao vivo em canal aberto na Internet para que possamos acompanhar as negociações online?

    E claro que a cada 30 dias uma negociação não é o caminho, o Seprorgs esta correto em reclamar sim! E eu também acho um absurdo levar tanto tempo para ter um novo encontro para fechar em uma pauta de uma página e meia o que se esperou 30 dias para discutir.

  4. Jeison 25 janeiro, 2018 - 12:07 à 12:07

    Cade o povo preocupado em não paga o desconto sindical? Achavam que a reforma trabalhista era só isso, né? Afinal, era só o que o JN divulgava e os trouxas acreditavam…

    SindPPD-RS: Com o Temer manipulando os indicadores econômicos, o nosso dissídio (pelo INPC) ficou esdrúxulo. Mantenham firmemente o “NÃO!” como resposta ao Seprorgs, e caso eles relutem em não repor a desvalorização do salário, vão a Justiça para conseguir isso. Mas jamais negociem com esses pilantras exploradores.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br