Propostas dos candidatos ao governo do RS para a TI e para a PROCERGS

1 960
image_pdfimage_print

 

Para contribuir no debate, o Sindppd/RS fez uma breve entrevista com os 2 candidatos que concorrem, neste 2º turno, ao governo do Estado do Rio Grande do Sul: Eduardo Leite e José Ivo Sartori, que busca a reeleição.

Enviamos 7 questões aos candidatos por e-mail e pedimos que respondessem em até, no máximo, 15 linhas. As perguntas trataram da TI no RS, da PROCERGS (empresa pública de TI do governo gaúcho) e dos direitos dos trabalhadores.

As eleições fazem parte de nossas vidas e os seus resultados impactam diretamente no cotidiano dos trabalhadores, daí a importância de entrevistarmos os candidatos, especialmente nos temas que envolvem a nossa categoria de TI.

Seguem as entrevistas na ÍNTEGRA. A composição das coligações descritas abaixo foi a entregue ao TRE no momento do registro da candidatura:

 

 

 

CANDIDATO EDUARDO LEITE
Coligação Rio Grande da Gente (PSDB / PTB / PRB / PPS / PHS / REDE / PP)

 

eduardo_leiteee_radio guaiba
Crédito: Rádio Guaíba

 

1) Quais são os projetos da sua candidatura para o setor de TI (Tecnologia da Informação) gaúcho?

Hoje vivemos na era da internet das coisas e cada vez mais o Estado precisa investir em gestão e tecnologia para transversalizar os processos e atender à população. Neste cenário, a Procergs tem um papel fundamental em que precisamos ser pró-ativos no atendimento interno ao governo e que isto reflita em qualidade e maior prestação de serviços à Sociedade.

Para a saúde, por exemplo, é essencial no fortalecimento da política de gestão do SUS, utilizando-se indicadores e tecnologia da informação como referência de tomada de decisões estratégicas. Na qualificação do controle e gestão da Assistência Farmacêutica. Para profissionalizar o processo de contratualização do SUS, criando políticas de avaliação de desempenho e indicadores de qualidade no acompanhamento contratual dos estabelecimentos prestadores de saúde. E para criar uma política que garanta aos 497 municípios do Estado e às 19 Coordenadorias de Saúde recursos necessários à ampliação e melhoria do parque tecnológico necessário para o fortalecimento das soluções de TI e, consequentemente, para a gestão da saúde.

 

 

2) Que papel a PROCERGS, a empresa pública de TI do Estado, terá em seu governo? Existe proposta de investimentos e de projetos nesta empresa?

Como mantenedora da TI e dos sistemas e aplicativos nas mais diversas áreas de atuação do Governo. A Procergs também precisa garantir a padronização no desenvolvimento e aquisição de ferramentas tecnológicas, bem como ser a segurança dos dados e informações como no caso do Data Center. A Procergs desempenha um papel estratégico e é referência em soluções de TIC no Estado.

Além de prover a infraestrutura necessária aos pontos de trabalho das unidades da Secretaria da Saúde, é a principal parceira na prospecção, padronização e construção de soluções de TI, norteando os profissionais da área de tecnologia da informação e demais servidores da saúde na construção de projetos que auxiliem na melhoria da gestão em saúde e na formulação e execução de políticas de desenvolvimento tecnológico junto aos municípios.

 

 

3) Em eventual governo, poderás utilizar da terceirização em funções fim da empresa (ou seja, de TI)?

Sim como em duas situações: Serviços de Desenvolvimento, Procergs como parceria na elaboração, desenho e parametrização, para que depois possa ser mantenedora dos sistemas. Projeto de aplicações, Especificação de sistemas, Desenvolvimento de sistemas, Implantação, Treinamento e assessoria Serviços de Instalação de Redes, este serviço mais comum com pouca necessidade de “inteligência” • Projeto de redes, Instalação de redes locais, Instalação de software e hardware.

Uma TI avançada gera produtividade, reduz custos operacionais, qualifica o processo de trabalho. O resultado de uma TI estruturada não é um aumento de gastos, e sim o contrário: um crescimento exponencial na melhora dos processos de trabalho e, consequentemente, na saúde da população. O investimento em TI na Procergs deve ser ampliado de maneira responsável, sempre na busca de resultados que possam qualificar o processo de trabalho, reduzir a burocracia, profissionalizar o atendimento e munir os gestores com informações necessárias para a melhor tomada de decisão.

A Procergs e a Secretaria da Saúde precisam trabalhar juntas na construção destas soluções.

 

 

4) Em em eventual governo, há possibilidade de a PROCERGS ser privatizada?

Não vemos como uma possibilidade interessante para o Estado a privatização da Procergs.

 

5) Os salários na PROCERGS estão defasados, acarretando que muitos funcionários de alto nível de conhecimento tecnológico migrem para empresas da iniciativa privada e, até mesmo, para o exterior. Como será tratada a política salarial para os trabalhadores das empresas públicas, entre elas a PROCERGS?

Isto não é uma realidade somente da Procergs. Infelizmente os servidores do Estado em geral vivem esta situação. Precisamos em primeiro lugar buscar a valorização e condições para que nossos servidores possam minimamente exercer suas funções e que retomem o orgulho de serem servidores públicos. Mas também dentro desta realidade e anseios pretendemos sempre buscar o dialogo e procurar caminhos para atender da melhor maneira possível os anseios dos servidores da Procergs.

 

 

6) Frente à defasagem dos salários, ao recente PDV (programa de demissão voluntária) e à falta de cadastro de reserva, atualmente há déficit de funcionários na Procergs para cumprir com os serviços de TI. Em um eventual governo, está previsto concurso público para a empresa?

O que não podemos é deixar que a Procergs deixe de atender suas obrigações. Temos de identificar também onde teremos que aportar maior conhecimento e servidores para que a empresa possa cumprir com seus compromissos.

 

 

7) Considerações gerais

Compreendemos a grande importância das empresas de tecnologia têm não apenas para a economia gaúcha atual, mas para o conhecimento e a inovação científica do Estado. Elas são estratégicas e merecem todo o nosso incentivo, estímulo e a garantia de que não serão prejudicadas na nossa administração, ao contrário. Esse é um dos setores mais estratégicos para o nosso governo e tenho clareza de que devemos enxergá-lo como uma plataforma de desenvolvimento econômico e social do rio Grande do Sul. Não há dúvida também, que nesse contexto de transformação digital devemos estar plenamente alinhados como esse momento e trabalhar urgentemente na transformação digital gaúcha e isso passa pela existência de estruturas que tenham a competência da Procergs.

 

 

 

CANDIDATO JOSÉ IVO SARTORI
Coligação Rio Grande no Rumo Certo (MDB / PSD / PSB / PR / PSC / PATRI/ PRP / PMN / PTC)

 

sartori_Tadeu Vilani_Agencia RBS
Crédito: Tadeu Vilani/ Agência RBS

 

1) Quais são os projetos da sua candidatura para o setor de TI (Tecnologia da Informação) gaúcho?

A TI é um elemento fundamental para a prestação de um melhor serviço público, tanto no que tange aos serviços ao cidadão quanto à modernização das atividades internas da Administração Pública.

 

 

2) Que papel a PROCERGS, a empresa pública de TI do Estado, terá em seu governo? Existe proposta de investimentos e de projetos nesta empresa?

Visando uma melhora de atendimento ao cidadão o Governo vai continuar investindo em TI (mais especificamente na PROCERGS), como foi feito na atual gestão. Isto é imprescindível para o aprimoramento do funcionamento do Estado. A PROCERGS tem um papel fundamental nesta estratégica pois é a grande indutora das politicas e ações de TI no Governo do Estado. Sendo assim, seu papel continuará sendo fortalecido.

 

 

3) Em em eventual governo, poderás utilizar da terceirização em funções fim da empresa (ou seja, de TI)?

A PROCERGS já se utiliza há bastante tempo de terceirização em áreas importantes de execução de atividade-fim, com muito sucesso. Esta atividade é importante para a entrega de serviços tais como instalação de infraestrutura lógica e desenvolvimento de software através de Fábrica de Software. Hoje temos um conjunto significativo de empresas privadas locais que prestam estes serviços (entre outros) de forma eficiente e serão importantes para o futuro da Companhia, gerando empregos e fortalecendo a indústria do Estado. Cabe ressaltar que esta terceirização ocorre sob total controle e gestão da Companhia, sendo os processos de domínio dos técnicos permanentes da empresa.

 

 

4) Em em eventual governo, há possibilidade de a PROCERGS ser privatizada?

Não.

 

 

5) Os salários na PROCERGS estão defasados, acarretando que muitos funcionários de alto nível de conhecimento tecnológico migrem para empresas da iniciativa privada e, até mesmo, para o exterior. Como será tratada a política salarial para os trabalhadores das empresas públicas, entre elas a PROCERGS?

A PROCERGS possui uma política salarial e de benefícios bastante adequada e compatível com o mercado. O que vemos acontecer é um fenômeno nacional, no qual os jovens buscam novos projetos pessoais, muitos deles no exterior (o mercado de TI está aquecido a nível mundial), e não está atrelado à questão salarial.

 

 

6) Frente à defasagem dos salários, ao recente PDV (programa de demissão voluntária) e à falta de cadastro de reserva, atualmente há déficit de funcionários na PROCERGS para cumprir com os serviços de TI. Em um eventual governo, está previsto concurso público para a empresa?

A PROCERGS já tem autorização para efetivar um novo concurso, que deverá ter seu edital publicado em breve, para atender a determinadas áreas específicas para os quais é necessária à contratação permanente de profissionais. Portanto, mais que uma situação circunstancial, a necessidade de concurso é permanente em uma área tão dinâmica quanto a TI, e o Governo sempre esteve atento a isto.

 

7) Considerações gerais

Nada a considerar.

 

 

 

Sindppd/RS

 

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

1 comentário

  1. Michel 23 outubro, 2018 - 17:51 à 17:51

    Os caras tem o incrível dom de falar e não dizer nada.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br