Em defesa do SERPRO e da DATAPREV: sindicatos da FNI denunciam no TCU contratação de 350 trabalhadores de TI pelo Ministério da Economia

0 106
image_pdfimage_print

 

Prancheta 3 copiarcc

 

Os sindicatos da FNI (Sindppd/RS e Sindpd/SC), representados pelo assessor jurídico Aderson Bussinger, protocolaram nessa 4ª feira (5/08) uma Representação no TCU (Tribunal de Contas da União) referente à contratação de 350 profissionais de TI sem licitação pelo Ministério da Economia. A medida consta na portaria nº 16.017/2020, emitida no mês de Julho pelo secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do mesmo órgão, Paulo Spencer Uebel.

Na representação entregue ao TCU (CLIQUE AQUI para ver), os sindicatos da FNI denunciam a ilegalidade da portaria e, consequentemente, das contratações, já que serão realizadas sem licitação. Nem mesmo podem ser aplicadas nos dispositivos legais publicados pelo governo federal que permitem contratações sem concorrência prévia em situações de emergência devido à pandemia do Coronavírus.  Afinal, estes trabalhadores de TI atuarão em projetos de Transformação Digital de Serviços Públicos, sem especificar quais são e nem sustentar a urgência que justificasse a dispensa de licitação.

Os sindicatos também questionam que a portaria foi emitida sem levar em consideração se os trabalhadores de TI do SERPRO, que presta serviço especificamente para o Ministério da Economia, e da DATAPREV poderiam ou não realizar tais projetos. O assessor jurídico da FNI, Aderson Bussinger, denunciou no documento entregue ao TCU que a portaria “CONSTITUI UM PROJETO DE MERCADO, próprio das empresas privadas, que se pretende implantar através destas contratações, e com isto, justificar futuras demissões, ou seja: criar um fato consumado nas relações de trabalho para dar lugar a outro projeto e modelo, mesmo antes da privatização, que, isto sim, permitiria tais mudanças”.

Recentemente, o TCU encaminhou a revisão do contrato do SERPRO com a PwC (PricewaterhouseCooper), pois constatou um sobrepreço de 56% no valor cobrado pela empresa. O que deveria ter saído por quase R$ 7 milhões foi contratado por mais de R$ 12 milhões. O Tribunal de Contas também não encontrou justificativa que sustentasse a contratação da PwC sem licitação, pois o problema que ocorreu no sistema de gerenciamento da balança comercial foi pontual e acabou sendo solucionado pelos próprios trabalhadores do SERPRO.

Os sindicatos da FNI, Sindppd/RS e Sindpd/SC, requereram que o Tribunal de Contas suspenda ou cancele urgentemente a contração de 350 trabalhadores de TI sem licitação autorizada pela portaria nº 16.017/2020. Ainda pediram que o TCU determine, ao secretário Paulo Uebel, esclarecimentos sobre onde atuarão estas pessoas e que atividades cumpririam, e que intime as direções do SERPRO e da DATAPREV para esclarecerem se as empresas têm condições técnicas para prestar os serviços de TI descritos na portaria.

Assim que tivermos mais novidades, comunicaremos a todos. Ajude a divulgar esta matéria, compartilhe nas redes sociais!

 

Sindppd/RS, Sindpd/SC e OLTs que constroem a FNI

 

* Texto retirado do BLOG da FNI

 

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br