DSC_0607 - Cópia

É aprovado, por unanimidade, ​a autorização para o ​desconto da Contribuição Sindical Obrigatória ​de 2018 em assembleia

86 7853
image_pdfimage_print
 
Na noite de quarta-feira (7), trabalhadores em tecnologia da informação do Rio Grande do Sul reuniram-se em Assembleia Geral Extraordinária na sede do Sindppd-RS para discutir os impactos da reforma trabalhista, principalmente a forma como ela alterou a vida financeira do movimento sindical e decidir coletivamente sobre a continuidade imediata do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados no RS. A mesa da Assembleia contou a presença da Secretária Geral, Vera Guasso e com o assessor jurídico do sindicato, Délcio Caye. 
Dentre mais de 100 alterações nas leis trabalhistas, que entrou em vigor em novembro de 2017, uma delas foi a proibição da contribuição obrigatória da categoria aos sindicatos, o que reduz imensamente os recursos financeiros de todo o movimento sindical no país. A diretoria do Sindppd-RS não defende a existência do Imposto Sindical, porém ​nosso sindicato entende que a retirada ​repentina do​ mesmo SEM ​DEIXAR NENHUMA ALTERNATIVA NO CURTO PRAZO, representa um ataque à autonomia ​E A SOBREVIVÊNCIA ​dos sindicatos.​ S​em a contribuição de 2018 o sindicato​ correrá o risco de não se manter até o ano ​de 2019​ afinal o custo fixo mensal ultrapassa os cem mil reais e o que se arrecada apenas com a contribuição voluntária dos filiados, que é o que sobraria sem o Imposto Sindical, é cerca de metade disso. O cenário ideal, segundo ​relato da dirigente​ Vera​, é a sindicalização em massa dos trabalhadores​, isto é​, quadruplicar o número de sindicalizados que temos hoje. Esta ação será organizada junto com a categoria. Mas também existem outras alternativas que precisam ser analisadas.
​A assembleia teve pauta única: votar o desconto da Contribuição Sindical Obrigatória referente ao ano de 2018. Os trabalhadores aprovaram a pauta por unanimidade, ou seja, decidiram em votação o desconto de 1/30 (um trinta avos) do salário referente ao mês mês de março, equivalente a um dia de trabalho ao ano como contribuição. Desse valor, 60% fica com o sindicato, 15% com a federação, 10% ​para central sindical (A CSP/Conlutas, nossa central sindical, não recebe este valor), 10% com o governo e 5% com a confederação nacional. 
​O advogado ​Délcio​,​ da assessoria jurídica do sindicato,  defendeu que essa alteração da reforma trabalhista, tendo sido feita por lei ordinária, ofende a constituição, afinal ela diz que matéria tributária somente pode ser alterada por lei complementar, e a reforma é uma lei ordinária. No entendimento d​ele, se a contribuição for aprovada em assembleia, ela se torna válida para todos os trabalhadores da categoria. Disse também que é a garantia da manutenção dos sindicatos neste momento emergencial.​
 
 
 
DSC_0607
 
 
 
​O que foi debatido e aprovado por unanimidade na assembleia 
 
A pauta única do edital de convocação: Autorizar o desconto da Contribuição Sindical relativa ao ano de 2018, correspondente a 1/30 (um trinta avos) da remuneração de março de 2018 independente da condição de associado do sindicato.
 
​E que fica aberto a realização de reuniões ou assembleias nas empresas para informar e RATIFICAR a deliberação já tomada na assembleia geral desta quarta-feira, 7​ de março.
 
Notificar todas as empresas sobre a decisão tomada pela categoria​.
 
Fazer cumprir a deliberação dos trabalhadores usando os meios necessários.
 
 
​O que foi debatido ​e indicado como compromisso do sindicato a ser encaminhado junto aos filiados e o conjunto da categoria
 
– Encaminhar junto aos filiados alguma forma de compensação financeira em havendo o desconto da Contribuição Sindical e o correspondente a 60% do valor entrar nas contas do sindicato;
 
– Organizar no sindicato um grupo responsável por verificar detalhadamente os gastos e buscar a racionalização dos mesmos e divulgar para a categoria;
 
– Criar um grupo de trabalho aberto a participação de trabalhadores para construir propostas que busquem a garantia financeira do sindicato no médio e longo prazo, por exemplo campanha de sindicalização e outras formas. Viabilizar propostas que façam com que o sindicato busque a contribuição da categoria e não mais necessite voltar a recorrer a Contribuição Sindical obrigatória.

 

 
 
 
Sindppd/RS
sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

86 Comentários

  1. Marco Aurélio 8 março, 2018 - 16:14 à 16:14

    Se não pode haver desconto sem consentimento dos funcionários, como faço pra me opor ao desconto em folha?

    • Alessandro 24 abril, 2018 - 17:52 à 17:52

      Deve entregar no sindicato uma carta a próprio punho, manifestando a tua vontade.

  2. LEONARDO DA COSTA 8 março, 2018 - 16:16 à 16:16

    A Não pago, nem que eu precise entrar na justiça. Não preciso de sindicato, não quero me sindicalizar, e a lei diz que não é obrigatório, vão trabalhar para sustentar o sindicato, viver do dinheiro dos outros é fácil.

    • LEONARDO DA COSTA 3 abril, 2018 - 16:46 à 16:46

      Não vou pagar, léro léro… vem cobrar de mim aqui na minha casa, manda uma cartinha do SPC…..

  3. Fabio Salgado 8 março, 2018 - 17:02 à 17:02

    Eu não autorizei nenhuma contribuição. Só no SINDPPD, que é contra a contribuição obrigatória, eu sou obrigado a ir no sindicato para dizer que eu não sou voluntário a contribuir com o movimento deles

  4. Rafael Zanetti 8 março, 2018 - 17:07 à 17:07

    Art. 582. Os empregadores são obrigados a descontar da folha de pagamento de seus empregados relativa ao mês de março de cada ano a contribuição sindical dos empregados

    ——— que autorizaram prévia e expressamente o seu recolhimento aos respectivos sindicatos. ————–

    Eu NÃO AUTORIZEI NADA, logo, nenhum desconto pode ser feito!

    Durmam com esse barulho, sindicalistas!

  5. Alexsandro Silva 8 março, 2018 - 17:46 à 17:46

    Não entendi.

    Se pela lei o desconto só pode ser realizado caso eu autorize, como o sindicato vai cobrar das empresas o desconto em folha?

    E quem não pode ir a reunião no horário estabelecido?

    Quantas pessoas são descontadas pelo sindicato e quanto realmente estavam presentes nessa reunião???

    Porque não fizeram uma votação on-line?

    Eu, desde já não autorizo, e se descontarem um centavo, vou entrar com ação conjunta de toda a empresa contar o sindicato.

  6. Rodrigo 8 março, 2018 - 18:07 à 18:07

    Boa tarde,
    Caso a reforma trabalhista sofra uma revisão técnica com relação ao desconto da contribuição sindical, cabe aos nossos Tribunais deliberarem sobre o tema; o sindicato não tem jurisdição para decidir sobre a manutenção do desconto.
    Eu não quero contribuir com 1/30 avos do meu salário. Não vejo o porquê de repassar o valor a uma entidade que, na minha modesta opinião, deixa a desejar na defesa dos interesses dos empregados da TI do RS.

  7. Cristiano Pulz 8 março, 2018 - 19:21 à 19:21

    Lamentável! Vocês não tem esse direito de meter a mão em um dia de trabalho suado nosso! Vou tirar o print do comentário para não me censurarem novamente.
    Lei é lei! Eu não posso me reunir com a minha família e decidir que não viu pagar a luz este mês, ou que vou descontar um dia de trabalho da minha diarista.
    Sejam honestos e pelo menos respondam meu comentário!

  8. Gustavo 8 março, 2018 - 19:31 à 19:31

    Vocês não me representam.

  9. Alexsandro Brum 8 março, 2018 - 21:17 à 21:17

    Que engraçado. Excluíram meu comentário…. Bom. vou postar o link da noticia e o mesmo comentário no meu face. Quero ver excluírem de lá. Na hora de cobrar querem, mas na hora de aceitar a opinião de quem está sendo OBRIGADO a pagar, não querem ouvir.

  10. Jose roberto aguiar 9 março, 2018 - 6:05 à 6:05

    Para isso são rápidos… E o dissídio como está?

  11. Thomas 9 março, 2018 - 7:40 à 7:40

    Bom dia!
    Poderiam passar instruções de como proceder para não ser descontado da contribuição sindical, como já foi feito em anos anteriores?
    Obrigado!

  12. Cesar 9 março, 2018 - 9:23 à 9:23

    Bom dia
    Para aprovar desconto sindical são rápidos, agora fazer o que o pessoal vem pedindo desde o ano passado, que seria um sistema de voto online, para que seja possível o pessoal do interior participar das decisões sobre dissidio e até mesmo essa Assembleia Geral aí de desconto sindical, que novamente não foi possível participar pela distancia.
    Vocês só enxergam o que é melhor para vocês o resto que se vire. O dia que eu ir para POA vou deixar minha carta aí me desfiliando dessa porcaria.
    É uma vergonha um Sindicato de TI não ter um sistema de voto online e assembleias via vídeo conferencia.
    Não me venham com desculpa que o sistema é caro e bla bla bla, tem muitos prontos por ai para comprar, só não fazem por que não querem.
    No aguardo de uma solução.

  13. Marcelo 9 março, 2018 - 10:00 à 10:00

    Queria muito saber quem são esses trabalhadores que aprovaram isso. E porque não transmitem essas reuniões e fazem votação online? Sabe porque vocês não fazer isso? Porque sabem que ninguém aceitaria isso aí. Sindicato de TI não ter votação online é no mínimo, inaceitável, pra não dizer que é quase um paradoxo.

  14. Márcio Montanha Souza 9 março, 2018 - 10:21 à 10:21

    Bom dia,

    Gostaria de algum esclarecimento a respeito a essas reuniões. Existe muitos contribuintes do sidicato como eu que não tem como participar desses atos.
    O sindicato pensa em disponibilizar vídeo conferencia ou algum aplicativo para os votos?
    Conheço a atuação de outros sindicatos em serem sempre presentes na vida do trabalhador, mas o sindppd está somente pedindo a opinião de uma parte dos contribuintes sendo assim desse modo não vejo que o sindicato tem a força sindical que deveria ter.

    Aguardo retorno.

  15. Cesar 9 março, 2018 - 10:22 à 10:22

    Bom dia
    já que vocês ocultaram vou continuar colocando.
    Para aprovar desconto sindical são rápidos, agora fazer o que o pessoal vem pedindo desde o ano passado, que seria um sistema de voto online, para que seja possível o pessoal do interior participar das decisões sobre dissidio e até mesmo essa Assembleia Geral aí de desconto sindical, que novamente não foi possível participar pela distancia.
    Vocês só enxergam o que é melhor para vocês o resto que se vire. O dia que eu ir para POA vou deixar minha carta aí me desfiliando dessa porcaria.
    É uma vergonha um Sindicato de TI não ter um sistema de voto online e assembleias via vídeo conferencia.
    Não me venham com desculpa que o sistema é caro e bla bla bla, tem muitos prontos por ai para comprar, só não fazem por que não querem.
    No aguardo de uma solução.

  16. Elis 9 março, 2018 - 10:24 à 10:24

    Hora do sindicato abrir os gastos mensais para os trabalhadores ficarem ciente deste custo de mais de 100 mil ao mês.

  17. Pablo Loehder de Paula 9 março, 2018 - 10:46 à 10:46

    Senhores sindicalistas oportunistas.

    Os senhores devem lembrar que ao descumprirem a lei recentemente aprovada e se apropriarem de um recurso que não lhes é direito, os senhores assumem uma guerra com os servidores.

    Sejam inteligentes, esse método de sindicato está falido, acabou.

    Aceitem isso, façam um currículo e procurem empregos.

    Chega de mamar nas custas dos trabalhadores.

    Nos últimos 10 anos os senhores não conquistaram nada para a categoria, e portanto não merecem receber nada.

  18. Analista sincero 9 março, 2018 - 11:29 à 11:29

    Para variar, o sindicato trabalha somente em seu benefício.
    Pagaria com gosto a contribuição sindical se a entidade realmente realizasse um trabalho sério.

    Pagar para manter um sindicato que não consegue alinhar um dissídio que está atrasado há 5 meses é jogar dinheiro no lixo.

    Sei que este comentário será apagado, mas deixo aqui minha indignação com uma entidade que não faz muita coisa pela classe.

  19. Franciele Huller 9 março, 2018 - 11:32 à 11:32

    Lamentável que a vontade de cada trabalhador não seja respeitada, não sou filiada, este sindicato não me representa, não utilizo serviço de sindicato algum, exceto quando somos obrigados ex: homologar rescisão. Registrei minha vontade de não contribuir e logo arrumam uma brecha, não concordo em permanecer sustentando sindicatos!

  20. Analista sincero 9 março, 2018 - 11:38 à 11:38

    Dúvida: como faço para não pagar a contribuição?

  21. Rodrigo 9 março, 2018 - 12:04 à 12:04

    Quando foi feito o edital de convocação? Que puplicidade foi dada?

  22. Angela 9 março, 2018 - 13:19 à 13:19

    E a vergonha na cara ficou aonde?

  23. DANIEL S 9 março, 2018 - 13:56 à 13:56

    O SEPRORGS já alertou as empresas para que as mesmas NÃO façam o desconto sem a previa autorização do funcionário no sindicato, segue artigo 582 da CLT:
    Os empregadores são obrigados a descontar da folha de pagamento de seus empregados relativa ao mês de março de cada ano a contribuição sindical dos empregados que autorizaram prévia e expressamente (com uma intenção própria e específica) o seu recolhimento aos respectivos sindicatos.

  24. Alberto 9 março, 2018 - 14:25 à 14:25

    Será que vocês são burros? Não entenderam que NINGUÉM quer sustentar esse bando de parasitas?

  25. Alex 9 março, 2018 - 14:58 à 14:58

    Que beleza, meu dinheiro não vão levar, isso vai ser levado é para a justiça, cobrança de imposto sindical é indevido, e se me descontarem, advogado de prontidão para abrir um bom processo. Incrivel que pra cobrar valor agora proibido por lei, é rapidinho.

  26. JESSICA 9 março, 2018 - 15:33 à 15:33

    O que vale é a Lei.
    Voces não podem obrigar que já ganha tão pouco a descontar um dia de trabalho.
    Com certeza tem outras formas de sustentar o sindicato.

  27. Felipe Sandrini 9 março, 2018 - 18:24 à 18:24

    Não vai ter Golpe, não vamos permitir esse desconto ilegal!! Não fui convocado para nenhuma assembleia e não concordo com esse desconto!! irei recorrer ao ministério do trabalho se for preciso!!

  28. Roger 9 março, 2018 - 20:04 à 20:04

    Mas, qual a vantagem de ter um sindicato?
    Não vi muitas melhorias, ou engajamento dos mesmos para merecerem um dia suado de trabalho, de nós trabalhadores.
    Por mim, deveria seguir proibido a obrigatoriedade de financiar algo que não retorna em nada ao trabalhador.

  29. Felipe 9 março, 2018 - 21:39 à 21:39

    Se a assembleia foi geral, como que eu, trabalhador FORÇADAMENTE filiado ao sindicato, não fui convocado a participar da votação?
    Ou só foram convocados aqueles cujo voto eram certo para dar esta unanimidade MASCARADA E FORA DA REALIDADE?

  30. Desenvolvedor 10 março, 2018 - 12:13 à 12:13

    Legal parabéns sindicato!

    Mas e o dissidio da area privada? sai quando?

    Att,

  31. Pablo 10 março, 2018 - 16:26 à 16:26

    Aprovado por unanimidade ?… qm q voto?… isso eh q nem deputado q vota o próprio aumento salarial…
    100k por mes em gasto pra nd … dissidio quando sai vem parcelado e com 30% a menos … ao menos então quero pagar a contribuição da msm forma … ou eh so eu q tenho q me quebrar ??? … vc podiam ao menos fazer essas assembléias online … zoom.us vcs podem criar a sala e disponibilizar o link pra quem quiser participar …ou dentre 100k e esse pessoal q ta ae ao menos devem ser profissionais da informática n podem desenvolver um sistema pra assemnleia ? … assim eh facil critica política … vcs estao fazendo igual …

  32. Pedro 11 março, 2018 - 20:00 à 20:00

    Sai fora Vera Guasso! Esse sindicato não representa a nossa área!

  33. Diogo 12 março, 2018 - 10:16 à 10:16

    Descontem a contribuição (imposto) sindical apenas após o dissídio. Sindicato que não ajuda os trabalhadores não deve atrapalhar o rendimento dos mesmos. Se é contribuição, os funcionários devem poder optar por contribuir ou não para o sindicato. Nesse caso não é possível optar por não contribuir, ou se pode, é necessário ir até o sindicato, não podendo solicitar o não desconto da contribuição pelo site ou por e-mail. Coisa retrógrada. Perde-se um dia de trabalho para solicitar o não desconto de um dia de trabalho.

  34. Joana 12 março, 2018 - 13:05 à 13:05

    E desde quando desconto em folha não aprovado previamente pelo trabalhador é legal?
    O imposto sindical não é mais obrigatório, não somos obrigados a contribuir com o sindicato somente porque 20 pessoas acham que eu devo.

  35. Augusto Carrara 12 março, 2018 - 14:46 à 14:46

    Não foi dessa vez…

    Art. 611B, inc. XXVI Consolidação das Leis do Trabalho – Decreto Lei 5452/43

    CLT – Decreto Lei nº 5.452 de 01 de Maio de 1943
    Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho.

    Art. 611-B. Constituem objeto ilícito de convenção coletiva ou de acordo coletivo de trabalho, exclusivamente, a supressão ou a redução dos seguintes direitos: (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)

    XXVI – liberdade de associação profissional ou sindical do trabalhador, inclusive o direito de NÃO SOFRER, SEM SUA EXPRESSA E PRÉVIA ANUÊNCIA, QUALQUER COBRANÇA OU DESCONTO SALARIAL ESTABELECIDOS EM CONVENÇÃO COLETIVA OU DE ACORDO COLETIVO DE TRABALHO; (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)

  36. Clebio dossa 13 março, 2018 - 10:12 à 10:12

    Por mais que o entendimento da lei tenha permitido está liberdade de descontar do meu salário a contribuição, eu ainda tenho meu direito de não querer contribuir. Desta forma, gostaria que ficasse claro que não gostaria de realizar esta contribuição e o texto aqui apresentado deve também deixar claro esta opção é como ela deve ser realizada.

  37. Gi 13 março, 2018 - 12:05 à 12:05

    Até quando podemos levar a carta no Sindicato não autorizando a cobrança?

  38. Carol 13 março, 2018 - 18:25 à 18:25

    Podem postar a ata da assembleia aqui? Há uma ata, certo?

  39. Arthur 14 março, 2018 - 8:17 à 8:17

    Vocês criam uma assembléia extraordinária, para poucos dias após seu parco anúncio apenas no site, DENTRO DA SUA SEDE para definir se TODOS os trabalhadores vão dar dinheiro para vocês.

    De modo não surpreendente, MEIA DÚZIA DE GATOS PINGADOS decidem sobre a imposição de pagamento de milhares de trabalhadores por todo o estado. Menos surpreendentemente ainda, de modo “unanime”.

    Eu queria ter ido. Mas e o medo de dar a opinião contra dentro da instituição, sozinho contra os que dependem do cabide de emprego que é este sindicato?

    Isso sim é um golpe contra o dinheiro suado de todos os trabalhadores.

    Eu não quero pagar imposto sindical algum. Se o sindicato quer meu dinheiro, terá que me oferecer algo a mais do que anos de indisposição com meu patrão por reajustes sempre próximos ao mínimo garantido por lei.

    Aprendam a se virar com as próprias pernas. Seu problema financeiro não é meu problema.

  40. Crstiano 14 março, 2018 - 16:46 à 16:46

    E se na empresa que eu trabalho decidirmos por não contribuir para o sindicato?
    Notem que vocês atropelam o meu direito de não querer descontar, pois não sou filiado, nem pretendo ser.

  41. CARLOS 15 março, 2018 - 0:29 à 0:29

    EU NÃO AUTORIZEI VOCÊS A DESCONTAREM NENHUM CENTAVO DO MEU CONTRACHEQUE, MEIA DUZIA DE GATOS PINGADOS QUEREM DECIDIR POR MIM, EU NÃO ACEITO ISTO E NÃO VOU DEIXAR DESCONTAREM UM CENTAVO DO MEU SALÁRIO PARA VOCÊS.

  42. Roberto 15 março, 2018 - 10:36 à 10:36

    Bom dia,
    Com essa decisão da assembléia automaticamente todos terão o desconto, ou cada trabalhador ainda deve autorizar o desconto ou não no RH de sua empresa?

    Atte
    Roberto

    • sindppd 16 março, 2018 - 12:54 à 12:54

      Conforme a deliberação da assembleia do dia 7 de março convocada por edital as empresas deverão proceder o desconto para todos os trabalhadores, não sendo necessário ir ao RH para fazer autorização.

      • Antonio 20 março, 2018 - 13:05 à 13:05

        Por gentileza,
        Onde encontro a legitimidade e/ou embasamento legal, referente a convocação de assembleias com o único objetivo a autorizar coletivamente, o desconto da contribuição sindical em nome dos seus representados?
        Pois até o momento não localizei nenhuma legalidade referente que assembleia dos sindicatos possam substituir a vontade individual e expressa de cada trabalhador.

    • Ian Segobio 16 março, 2018 - 16:26 à 16:26

      A lei em vigor (13.467/2017, publicada no Diário Oficial da União em 14.07.2017) PROÍBE o desconto obrigatório. Sendo assim, se acontecer (sem sua explicita autorização) sugiro que peça o ressarcimento à sua empresa. Um votação interna do sindicato não sobrescreve lei federal.

  43. Giandro Araujo 15 março, 2018 - 12:28 à 12:28

    Como assim, aprovado??? E o artigo da nova Lei:

    “Art. 545. Os empregadores ficam obrigados a descontar da folha de pagamento dos seus empregados, desde que por eles devidamente autorizados, as contribuições devidas ao sindicato, quando por este notificados.”

    Vocês são muito fracos em negociação de benefícios e nunca conseguem efetivar uma negociação boa e de agrado da categoria.
    São Paulo, Paraná estão com 40 horas e aqui vocês nao conseguem levar nem a pauta isso, ou se levam são motivo de piada na ASSESPRO.

    E agora querem contribuição??? Nem pensar.

  44. Giandro Araujo 15 março, 2018 - 12:29 à 12:29

    Corrigindo:

    ASSESPRO não e sim SEPRORGS

  45. Jose 15 março, 2018 - 13:32 à 13:32

    Ola, quero optar por não pagar esta contribuição, qual é o processo para isto? Nos anteriores entreguei uma carta no RH da minha empresa, como vai funcionar este ano? Fico no aguardo.

  46. Otario da TI 15 março, 2018 - 16:38 à 16:38

    QUE PALHAÇADA É ESSA?

  47. Pablo 16 março, 2018 - 8:30 à 8:30

    A obrigatoriedade do desconto sindical segue sem existir. O Seprorgs já rechaçou a investida do SindPPD-RS

    http://www.seprorgs.org.br/pt/comunicacao/noticias/comunicado-importante-contribuicao-sindical-dos-trabalhadores-exercicio-2018/?utm_campaign=&utm_content=Comunicado+Importante%3A+Contribui%C3%A7%C3%A3o+Sindical+dos+Trabalhadores+-+Exerc%C3%ADcio+2018+%7C+Not%C3%ADcias+%7C+SEPRORGS+%281%29&utm_medium=email&utm_source=EmailMarketing&utm_term=Comunicado+Importante%3A+Contribui%C3%A7%C3%A3o+Sindical+dos+Trabalhadores+-+Exerc%C3%ADcio+2018

    Ou o sindicato corre atrás e aprova um bom dissídio 2017/2018 a todos os trabalhadores, ou ficará sem a contribuição. O que conta agora é o MERECIMENTO.

    E por favor… NÃO APAGUEM meu comentário. Vou printá-lo e voltar aqui semana que vem para se apagaram. Se sumir, vou colocar tudo nas redes sociais. Cercear a palavra do trabalhador é algo que vai em desencontro com a democracia.

  48. Graziele 17 março, 2018 - 9:23 à 9:23

    E o nosso dissídio como está?? A movimentação para aprovação da contribuição foi super ágil né, e nós aqui, desde novembro esperando por um retorno.

  49. Ilegal 18 março, 2018 - 0:27 à 0:27

    A assembleia não tem valor nenhum referente a cobrança. Caso o sindicato queira continuar cobrando essa contribuição que no passado se disseram contra, deverão entrar na justiça. Nós mesmos (funcionarios) aqui da empresa ja estamos nos organizando um grupo e avisamos o juridico sobre isso e caso seja feita a cobrança vai ser uma chuva de processos contra vocês e a empresa caso descontem antes de uma posição do STJ. Deveriam se preocupar mais com o nosso dissidio atrasado desde novembro, depois reinvidicar uma contribuição.

  50. Roberto 19 março, 2018 - 8:20 à 8:20

    Por favor regulamentem o trabalho remoto. Mas sem adicional noturno ou horas extras sem sentido. Eu ganharia 6 horas por dia entre deslocamento, almoço e a possibilidade de trabalhar de madrugada pra resolver assuntos pessoais durante o dia. Modernizem o acordo sindical urgente!

  51. Deives 19 março, 2018 - 8:51 à 8:51

    Com qual base, o sindicato decide sobre o descontou ou não, a lei diz que deixa de ser obrigatório, qual o poder do sindicato deliberar sobre uma lei trabalhista.
    Ai estão preocupados com a perda de receita, em que parte o Sindicato busca novas maneiras de se reinventar, buscar novas formas de receitas, sem a dependência unica o financiamento da classe trabalhadora, e quando será falado sobre o discídio os ridículos 1,5% que sabemos que irá ficar neste valor….

  52. Analista sincero 19 março, 2018 - 9:12 à 9:12

    Não entrem nessa conversa… as empresas seguirão os que está definido na lei. Somente terão o valor descontado quem autorizar. Assembleias não estão acima da lei.

  53. Giandro Araujo 19 março, 2018 - 9:12 à 9:12

    Bom dia, gostaria de saber porque apagaram meu comentário aonde eu solicito explicação???

    Como fica o Artigo 545 da nova lei???

    “Art. 545. Os empregadores ficam obrigados a descontar da folha de pagamento dos seus empregados, desde que por eles devidamente autorizados, as contribuições devidas ao sindicato, quando por este notificados.”

    • Melissa 22 março, 2018 - 16:19 à 16:19

      A advogada especialista em Direito do Trabalho, Karla Cruz, afirma que essa é apenas uma das brechas deixadas pela Reforma Trabalhista. Como as negociações trabalhistas são discutidas em assembleia, os sindicatos apostam que a assembleia também valida a cobrança da contribuição sindical.

      “A lei determina que a cobrança seja facultativa, mas deixa a possibilidade de que a autorização ocorra em assembleia, já que o sindicato representa, em uma ação trabalhista, por exemplo, toda a categoria. Mesmo assim, eu entendo que, se a pessoa procura o sindicato e se nega a contribuir, ela tem o direito de não ser cobrada.”

      http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/a-protagonista/2018/02/02/contribuicao-obrigatoria-voltou-sindicatos-ja-acharam-uma-brecha-na-lei/

      Esse é um trecho da noticia.

  54. Sabrina 19 março, 2018 - 10:54 à 10:54

    As empresas deverão realizar desconto de todos os funcionários, mesmo que o funcionário redija uma carta ao sindicato, informando que NÃO autoriza?

  55. Jader 19 março, 2018 - 11:07 à 11:07

    se o sinidicata faz alguma coisa pelo associado, o proprio associado vai querer ser sindicalizado. Não precisa de LEI para isso.
    E nos anos que trabalhei ai e era COMPULSORIAMENTE associado a esse sindicato, só vi ganharem dinheiro. Melhoraram e muito a sede e instalações.
    MAs nossa jornada continuava 44h, enquanto a do sindicato devia ser umas 36h/semana.
    Beneficios por ser associado ? nenhum que eu lembre

  56. Karina 19 março, 2018 - 13:25 à 13:25

    Como posso proceder para que a empresa não efetue o desconto?

  57. Leila 19 março, 2018 - 15:51 à 15:51

    Entendo que a empresa deve levar ao conhecimento dos empregados que houve alteração na lei, informando que é opcional a contribuição sindical, bem como, só pode descontar a contribuição se o empregado previamente autorizar, conforme nova redação do artigo 582 da CLT, empregado deve notificar por escrito se autoriza ou não autoriza o desconto da contribuição sindical em março, para que depois não venha a alegar que nem foi consultado se optou ou não pelo desconto, tendo em vista a alteração da redação do artigo 582 da CLT, pela lei da reforma trabalhista.
    Por fim, ainda que os sindicatos aprovem o desconto através de assembleia, a empresa não pode fazer o desconto sem autorização prévia dos empregados, conforme artigo 582 da CLT, e não pode o sindicato obrigar o empregado ao pagamento da contribuição, de conformidade com o artigo 611-B, inciso XXVI da CLT: “Art. 611-B – Constituem objeto ilícito de convenção coletiva ou de acordo coletivo de trabalho, exclusivamente, a supressão ou a redução dos seguintes direitos:
    XXVI – liberdade de associação profissional ou sindical do trabalhador, inclusive o direito de não sofrer, sem sua expressa e prévia anuência, qualquer cobrança ou desconto salarial estabelecidos em convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho.

  58. Auxiliar Preocupado 19 março, 2018 - 17:37 à 17:37

    Se o sindicato realmente fosse ativo com os particúlares, eu até concordaria pagar, mas so vejo o sindicato fazendo apitaço, campanhas e fiscalizando as estatais, enquanto isso as empresas pagam abaixo do piso, humilham os funcionários, dae vem o sindicato dizer, entra na justiça.
    Vera Guasso querida e time, vamos trabalhar? ou querem so ficar mamando nas tetas dos particulares? Vamos ser presentes nas empresas? pq é super fácil receber e nao fazer nada, pior ainda quando vem com aquele discurso do sindppd de sp que conseguiu 40 horas….se continuarem fraco assim, jamais conseguirão.
    Cansado de pagar vocês e ficar ecebendo a abaixo do piso e ter que esperar pra entrar na justiça…quero agora…..fiscalizem os particulares.

  59. Auxiliar Preocupado 19 março, 2018 - 17:46 à 17:46

    Se o sindicato realmente fosse ativo com os particúlares, eu até concordaria pagar, mas so vejo o sindicato fazendo apitaço, campanhas e fiscalizando as estatais, enquanto isso as empresas pagam abaixo do piso, humilham os funcionários, dae vem o sindicato dizer, entra na justiça.
    Vera Guasso querida e time, vamos trabalhar? ou querem so ficar mamando nas tetas dos particulares? Vamos ser presentes nas empresas? pq é super fácil receber e nao fazer nada, pior ainda quando vem com aquele discurso do sindppd de sp que conseguiu 40 horas….se continuarem fraco assim, jamais conseguirão.
    Cansado de pagar vocês e ficar recebendo menos que o piso e ter que esperar pra entrar na justiça…quero agora…..fiscalizem os particulares.
    ou será preciso acionar o MPT ?

  60. Carlos 20 março, 2018 - 6:17 à 6:17

    E uma lei pode ser simplesmente ignorada em apenas uma reunião?
    Já foi iniciado o pedido de retificação/anulação do Art. 545? Isso leva tempo, não basta uma unica reunião sindical.

    Se podem ignorar uma lei assim, isso nos abre um precedente a nós anular qualquer outra lei sem sua devida anulação/retificação legal.

    Engraçado, essa questão foi levantada e “resolvida” em 2 tempos, já nosso dissidio… mais uma vez enrolado por mais de meio ano.

  61. Elis 20 março, 2018 - 9:57 à 9:57

    E as reuniões do dissídio?

  62. sergio 20 março, 2018 - 10:19 à 10:19

    Como eles podem decidir se eu nem participei desta assembleia?
    nem fui convocado? e outra . Pura balela. nao podem descontar se eu nao autorizar.
    Vao mostrar servico para fazer valer este desconto.

  63. Leandro Souza 20 março, 2018 - 12:42 à 12:42

    Olá ,
    De acordo com o art. 545 como faço para não autorizar o desconto.
    Obrigado

  64. Antonio 20 março, 2018 - 12:52 à 12:52

    Por gentileza, onde encontro a legitimidade e/ou embasamento legal, referente a convocação de assembleias com o único objetivo a autorizar coletivamente, o desconto da contribuição sindical em nome dos seus representados?
    Pois até o momento não localizei nenhuma legalidade referente que assembleia dos sindicatos possam substituir a vontade individual e expressa de cada trabalhador.

  65. Antonio Menoti 20 março, 2018 - 13:01 à 13:01

    Por gentileza, onde encontro a legitimidade e/ou embasamento legal, referente a convocação de assembleias com o único objetivo a autorizar coletivamente, o desconto da contribuição sindical em nome dos seus representados?
    Pois até o momento não localizei nenhuma legalidade referente que assembleia dos sindicatos possam substituir a vontade individual e expressa de cada trabalhador.

  66. Gabriel Oliveira 20 março, 2018 - 17:36 à 17:36

    Agora, com a mudança imposta pela reforma trabalhista, o desconto da própria contribuição sindical, que era obrigatória todo o mês de março de cada ano (equivalente a um dia de salário), passou a ser uma faculdade por parte do empregado.

    É importante ressaltar que a Reforma Trabalhista proíbe o desconto da contribuição sindical sem que o empregado tenha autorizado, e qualquer desconto não autorizado, deve imediatamente ser devolvido para o empregado.

    Caso isso não ocorra, o empregado poderá solicitar verbal ou formalmente a devolução para a empresa, requerendo que esta devolva tal valor na folha de pagamento do mês seguinte.

    Se a empresa já fez o recolhimento para o sindicato, é obrigação da empresa requerer a devolução do valor para o sindicato. Entretanto, a devolução do valor para o empregado já na folha do mês seguinte ao desconto, independe da devolução do respectivo valor do sindicato para a empresa, podendo a empresa ficar no prejuízo de ter que devolver ao empregado, mesmo que o sindicato não faça o mesmo para a empresa.

    Assim como em qualquer situação de descumprimento de contrato desta natureza, cabe ao empregado se utilizar dos meios normais para solucionar o problema, simplesmente requerendo a devolução.

    Caso a devolução não ocorra espontaneamente, poderá se utilizar de outros meios que possam forçar a empresa, tais como a denúncia junto ao Ministério do Trabalho, carta informando o sindicato da categoria, ou requerer na Justiça do Trabalho tal devolução, sabendo desta última medida como sendo um risco da manutenção do próprio emprego.

    Por certo o que deve ocorrer é o cumprimento da lei. Se a lei estabelece que a contribuição sindical só pode ser descontada mediante autorização expressa do empregado, cabe à empresa cumprir tal determinação.

  67. Ian Vinícius Segobio 21 março, 2018 - 1:11 à 1:11

    Que feio, apagaram meu comentário também…

    ““Art. 545. Os empregadores ficam obrigados a descontar da folha de pagamento dos seus empregados, desde que por eles devidamente autorizados, as contribuições devidas ao sindicato, quando por este notificados.””

  68. Rafael 21 março, 2018 - 8:49 à 8:49

    Sindppd em resposta ao Roberto:
    “Conforme a deliberação da assembleia do dia 7 de março convocada por edital as empresas deverão proceder o desconto para todos os trabalhadores, não sendo necessário ir ao RH para fazer autorização.”

    Isso significa automaticamente serão descontados, à menos que compareçam ao RH e informem de próprio punho que se opõe ao desconto sindical.

    Não esqueçam de informar seus dados e da empresa (com assinaturas, óbvio) e em 3 vias, uma sua, uma da empresa e uma para ser enviada ao Sindippd.

  69. Lucas 22 março, 2018 - 17:58 à 17:58

    O que o sindicato entrega de valor aos que trabalhadores da categoria ?

  70. Alex 25 março, 2018 - 10:50 à 10:50

    Conforme consta no artigo 611-B , XXVI da CLT. A autorização do empregado deve ser individual e prévia e não pode ser substituída pela autorização obtida em assembléia sindical. Gostaria de uma explicação de vocês??Pois eu não autorizo que o desconto seja feito no meu contra-cheque.

  71. Salatiel 26 março, 2018 - 9:26 à 9:26

    Isso não pode ser legal.
    Uma assembléia decidida de um dia pro outro que tira meu direito de decisão sobre o pagamento de algo que eu não quero mais pagar.
    Depois dessa, estou considerando recorrer judicialmente caso eu seja descontado.
    Como disse um outro comentário aqui: Assembleias não estão acima da lei.

  72. Guilherme 26 março, 2018 - 11:10 à 11:10

    Isso é ilegal conforme já explicado aqui: http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/Empresa-descontou-sem-autorizacao.htm

    Pra que serve um sindicato que ao invés de ajudar o trabalhador atua contra ele?
    Quem participou dessa assembeia e porque a mesma não foi largamente divulgada para que obtivesse uma maior participação?
    O que o sindicato tem oferecido nos últimos anos e porque nunca recebemos nenhuma visita, palestra ou treinamento quanto aos nossos direitos e quanto a atuação do sindicato?

  73. Leonardo 26 março, 2018 - 15:45 à 15:45

    Sindicato está com medo de perder uma ação na justiça sobre o desconto, estão manipulando as empresas a conseguirem a autorização de desconto sindical de seus colaboradores. depois que assinarem, não tem mais volta.

  74. Sergio 27 março, 2018 - 17:58 à 17:58

    Vocês escreveram: “SEM ​DEIXAR NENHUMA ALTERNATIVA NO CURTO PRAZO”. Podemos contar que no ano que vem a “contribuição” será realmente uma contribuição e não uma obrigação já que vocês agora terão pelo menos mais um ano para se organizarem e buscarem uma forma de se sustentar sozinhos???

    Outra coisa, é muito conveniente para vocês que as decisões das assembleias sejam decididas apenas pelos presentes. Não se esqueçam que vocês representam trabalhadores de um estado inteiro o que torna impossível irmos nas assembleias. Já esta mais do que na hora de disponibilizarem uma forma de participação on-line para que aí sim as decisões sejam tomadas de forma justa.

  75. Christian 28 março, 2018 - 14:11 à 14:11

    Boa Tarde,

    Também não entendo como uma assembléia da qual sequer fiquei sabendo que ia acontecer pode sobrepor o que está escrito na Lei.
    Poderiam explicar por favor?

  76. Gilberto 16 maio, 2018 - 14:16 à 14:16

    R$100.000,00 por mês para manter o sindicato? Sério isso? Fora a homologação das rescisões, o que o sindicato oferece aos trabalhadores? Meu é aposentado, e ainda é filiado ao sindicato da categoria dele. Com o valor irrisório que ele paga mensalmente (Não chega a R$10,00), ele tem disponível colônia de férias na praia, consultas médicas, quadra de esportes, piscina, etc. O que o SINDPPD nos oferece?

    Entrei em uma nova empresa no início de março, e para minha surpresa, no salário que recebi no início de abril, veio o desconto que eu não autorizei a ser feito pelo sindicato. Piada!

  77. alemão do PHP 21 agosto, 2018 - 17:44 à 17:44

    Publiquei um comentário sobre, mas foi bloqueado pelo SindPPD

    não achei ele no meio dos outros…

    que bacana esse sindicato democrático!!!

    • sindppd 23 agosto, 2018 - 14:44 à 14:44

      Não publicamos porque tua afirmação era totalmente inverídica e levantava uma falsa desconfiança, já que a foto é da referida assembleia. De boatos, o mundo já está cheio; e a democracia nos garante a possibilidade de não ficar espalhando-os.

      Att. Sindppd/RS

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br