DATAPREV – As consequências do Acordo Coletivo de dois anos

0 24
image_pdfimage_print

O ACT por dois anos na Campanha Salarial de 2009, que foi imposto pela intransigência da direção da empresa e defendido pela Fenadados, mostrou a que veio.

As demissões ocorridas no início deste ano, o não pagamento da PPLR de 2009, a tentativa de implementação de turno ininterrupto no RJ, SP e DF, além da alteração da Norma de Férias com prejuízos aos trabalhadores, são alguns exemplos dos ataques da Dataprev, aproveitando a inexistência da Campanha Salarial neste ano.

Devemos exigir que a Dataprev não desconte os dias parados da Campanha Salarial 2009
O julgamento dos dias parados da Campanha Salarial de 2009 pelo TST em maio/2010, com o fechamento do ACT encaminhado pela Fenadados em dezembro/2009 não podia dar em outro resultado. Todos os resultados positivos, obtidos pelos trabalhadores no TST, no último período, ocorreu quando as categorias estavam em greve. Foi assim com bancários e trabalhadores dos correios. Agora precisamos correr atrás do prejuízo, e exigir da direção da Dataprev que não desconte os dias parados. Eles já foram recuperados, além do que, já bastou o aumento irrisório obtido na Campanha Salarial. Os trabalhadores do Serpro já começaram uma campanha nacional, para que a empresa retire o dissídio de greve do TST, sem nenhum desconto dos trabalhadores.

PPLR 2009 e 2010
A Dataprev insiste em afirmar que não pagará a PPLR de 2009 porque não foi assinado acordo com os sindicatos. A verdade é que os trabalhadores não cederam às chantagens da direção da empresa, que queria considerar as avaliações do SAF, para fins do pagamento da PPLR. Mas o que a empresa não explica, é porque em exercícios anteriores, a PPLR foi paga sem a inclusão desta exigência absurda. Além disto, a empresa se finge de morta, com relação a PPLR de 2010.

Norma de férias
Outro ataque aos direitos dos trabalhadores, que podiam agregar os dias de feriados, ao final do período de suas férias, conforme previsto na Convenção 132 da OIT. Uma alteração feita pela direção da empresa, de forma silenciosa, para que os trabalhadores se dessem conta, bem depois da sua divulgação.

Mas os trabalhadores da Dataprev não podem se submeter aos desmandos da direção da Dataprev. É necessário que os sindicatos, as OLTs e todos aqueles que se disponham a enfrentar esta situação, partam para o enfrentamento em todas as frentes possíveis. É necessário adotar todas as medidas jurídicas e políticas, para que os interesses dos trabalhadores da Dataprev não sejam desrespeitados e atacados.

Sindppd/RS  OLT-Dataprev/RS

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br