particulares 2017 2019_FINAL_DESTAQUE

Contribuição Assistencial do Setor Privado: trabalhador que contribui com o sindicato está na luta por seus direitos

0 456
image_pdfimage_print

 

Trabalhadores de 194 empresas de TI do Rio Grande do Sul enviaram cartas de oposição à Contribuição Assistencial ao Sindppd/RS. Já outras 435 empresas enviaram o pagamento das contribuições, mas ainda não está finalizado o processo. Vale lembrar que mesmo nas 194 empresas em que houve oposição ao desconto, muitos trabalhadores aceitaram fazer a contribuição. O desconto correspondeu a 1,5% de um salário, relativo à Convenção Coletiva de Trabalho de 2 anos (CCT 2017/2019), e foi recolhido ao sindicato dos contracheques de DEZEMBRO/2018.

O montante está sendo utilizado para ajudar a cobrir os gastos do Sindppd/RS com as duas últimas campanhas salariais (2017/2018 e 2018/2019) e, também, na sustentação da estrutura do sindicato, assessoria jurídica, homologações etc.

Desta vez, o sindicato aceitou cartas de oposição enviadas pelos CORREIOS por colegas de Porto Alegre e da região metropolitana. Até então, apenas os trabalhadores do interior do estado podiam se opor por meio de correspondência pelos CORREIOS. Essa alteração atendeu a pedido dos colegas, que reclamavam por conseguir ir até a sede do Sindppd/RS para manifestar sua contrariedade em contribuir.

Acatamos o pedido porque confiamos que são os TRABALHADORES, cientes da importância do sindicato, que devem decidir, por sua livre e espontânea CONSCIÊNCIA, em contribuir financeiramente com o Sindppd/RS. Se você se opôs desta vez, reflita bem sobre a necessidade de termos um sindicato forte para mantermos os direitos que já temos e avançarmos ainda mais em ganhos, especialmente neste momento em que os governos, grandes empresários e banqueiros preparam mais ataques aos direitos trabalhistas e a Reforma da Previdência. Para o Sindppd/RS estar FORTE, os trabalhadores de TI precisam vir junto, participando das atividades e assembleias e sustentando financeiramente a nossa entidade.

Em breve, enfrentaremos outra dura campanha salarial do Setor Privado em que contamos com a contribuição dos colegas. Outra forma de ajudar o Sindppd/RS é se SINDICALIZANDO e contribuindo com uma MENSALIDADE de 1% do salário base. A sindicalização pode ser feita em qualquer momento. Veja mais sobre o assunto neste link: http://www.sindppd-rs.org.br/sindicato-forte-e-o-que-tem-os-trabalhadores-junto-sindicalize-se-ao-sindppdrs/ Para acessar a ficha de sindicalização online, clique neste link: http://www.sindppd-rs.org.br/ficha.php

 

 

CCT 2017/2019 SÓ EXISTE PORQUE OS TRABALHADORES ESTÃO ORGANIZADOS E TÊM UM SINDICATO. Não abra mão dos teus direitos! Contribua e se sindicalize ao Sindppd/RS!

TODOS OS DIREITOS que os colegas do Setor Privado têm (quinquênio; auxílio alimentação de R$ 22,00; pisos salariais; direito à homologação no sindicato; manutenção da vigência da Convenção até nova assinatura; auxílio-creche e tantas outras cláusulas; garantia de todo o INPC nos salários) SÃO CONQUISTAS da Convenção Coletiva (CCT 2017/2019) defendida pelo sindicato e pela assessoria jurídica dele. Se os trabalhadores da TI no RS não estivessem organizados num sindicato, provavelmente teriam que negociar os reajustes e demais aumentos diretamente com as chefias ou os empresários, como a Reforma Trabalhista quer impor. E sabemos muito bem que o trabalhador, SOZINHO, acaba se tornando o lado mais frágil perante o poder econômico, que não se furta em demitir ou precarizar as condições de trabalho de seus funcionários para manter seu lucro.

Muitos colegas não sabem, mas até mesmo o básico, que é a reposição da inflação nos salários e nos benefícios (no nosso caso, o INPC), é resultado da pressão dos trabalhadores organizados e do Sindppd/RS. Não existe NENHUMA OBRIGAÇÃO LEGAL que faça as empresas pagarem o INPC; isso só acontece, e em todo o ano, porque os trabalhadores da TI estão organizados e têm um sindicato para puxar a campanha salarial, negociar com o SEPRORGS (sindicato dos empresários), pressionar etc.

Se você ganha valores maiores do que os previstos na Convenção Coletiva, é importante que saiba que, ainda assim, a CCT 2017/2019 atua como balizador para que a empresa que você trabalha pague um pouco mais.

Sabemos que os avanços econômicos parecem ser pouco frente ao que os trabalhadores e suas famílias necessitam para viver e perante os lucros das empresas de TI. No entanto, ter uma Convenção Coletiva forte e com direitos além dos básicos garantidos pela CLT não é pouco, pois é fruto de uma organização de mais de 30 anos dos trabalhadores da TI no RS e de muita luta e resistência contra as tentativas de retirar nossos direitos. Nada veio de graça, colegas. TUDO foi conquistado pela nossa luta!

E para que os nossos direitos sejam mantidos e tenhamos avanços, o Sindppd/RS precisa ser mantido em plena atividade!

 

 

O QUE É O SINDPPD/RS

O Sindppd/RS representa os cerca de 20 mil trabalhadores de TI de todo o estado do Rio Grande do Sul. O sindicato hoje tem uma sede própria, localizada no Centro Histórico de Porto Alegre, e 2 veículos populares também próprios. Prestamos serviço de homologação das rescisões de contrato de trabalho diariamente na Capital e, a cada 20 dias, em Caxias do Sul, onde alugamos uma sala para isso. Também temos as assessorias jurídicas e em Saúde, que atendem gratuitamente os trabalhadores de TI, e mantemos 9 funcionários para o funcionamento da sede do sindicato e para a execução dos serviços e das atividades desenvolvidas pelo Sindppd/RS.

Organizamos e negociamos as campanhas salariais das empresas públicas SERPRO, DATAPREV, BB TECNOLOGIA (todas federais); PROCEMPA (município de Porto Alegre); PROCERGS (estadual) e COINPEL (município de Pelotas) e das empresas privadas TERRA NETWORKS e DBServer, com as quais o sindicato fecha acordos coletivos diretos. Para todas as demais empresas do Setor Privado de TI, organizamos e negociamos a campanha salarial da categoria, que envolve o SEPRORGS (sindicato que representa os empresários do setor) e resulta na CCT (Convenção Coletiva de Trabalho). Sem contar as demais lutas regionais e nacionais que participamos, com outros sindicatos e organizações sociais, em defesa dos trabalhadores.

O custo mensal do Sindppd/RS varia conforme se tiver campanha salarial acontecendo e qual a estrutura que ela demanda. Com o fim do imposto sindical obrigatório pela Reforma Trabalhista (aquele 1 dia de trabalho que era recolhido anualmente de todos os trabalhadores brasileiros, cujo valor os sindicatos ficavam com apenas uma parte), o Sindppd/RS tem apenas DUAS fontes de arrecadação: a MENSALIDADE paga pelos trabalhadores sindicalizados (no valor de 1% do salário base) e a CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL (cobrada apenas no final das campanhas salariais e que, nesta última campanha salarial do Setor Privado equivaleu a 1,5% do salário base dos colegas).

Atualmente, nossa arrecadação mal cobre nossos gastos mensais. A estrutura do Sindppd/RS é enxuta e bem administrada; cortar alguma coisa significará menos serviços prestados a todos os trabalhadores de TI do estado e o risco de estarmos fracos e desorganizados para as peleias das campanhas salariais e na defesa dos nossos direitos. Portanto, achamos que a saída é aumentar a nossa arrecadação e, neste sentido, contamos com que mais trabalhadores assumam o sustento do sindicato, contribuindo FINANCEIRAMENTE com o Sindppd/RS.

Não se oponha aos próximos recolhimentos da contribuição assistencial. E SINDICALIZE-SE ao Sindppd/RS! A MENSALIDADE é de 1% do salário base. A sindicalização pode ser feita em qualquer momento. Veja mais sobre o assunto neste link: http://www.sindppd-rs.org.br/sindicato-forte-e-o-que-tem-os-trabalhadores-junto-sindicalize-se-ao-sindppdrs/ Para acessar a ficha de sindicalização online, clique neste link: http://www.sindppd-rs.org.br/ficha.php

São os nossos direitos que estão em jogo. Não podemos abrir mão deles, pois dificilmente conseguiremos recuperar no futuro!

 

 

DIREITOS CONQUISTADOS PELO SINDPPD/RS NESTA CAMPANHA SALARIAL 2017/2019:

# INPC completo para 2017 e 2018 de forma antecipada e com devidos valores retroativos à NOV/2017;

# Auxílio alimentação de R$ 22,00. Reajuste foi bastante acima do INPC, em torno de 17%. Se fosse somente o INPC, o valor ficaria em torno de R$ 20,00;

# Cláusula 74, que garante a ULTRATIVIDADE, que é a manutenção da vigência da Convenção Coletiva até a assinatura de uma nova. Essa conquista elimina o receio, para os trabalhadores, a cada mês de Novembro quando vence a CCT 2017/2019. A ultratividade foi extinta pela Reforma Trabalhista;

# Manutenção das homologações no sindicato com limitadores. Outro tema que a Reforma Trabalhista alterou;

# Pisos:
Analista ficou em R$ 3.406,45
Programador em R$ 1.969,91

 

 

Colega da TI: sindicalize-se ao Sindppd/RS!

 

 

Sindppd/RS

 

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br