capafacegrevegeral

A dura verdade sobre as reformas e a necessidade da GREVE GERAL de 30 de Junho

0 184
image_pdfimage_print

 

Sindppd/RS, CTs e OLTs dos trabalhadores definiram o calendário das assembleias nas empresas para debater e deliberar a adesão à GREVE GERAL. As primeiras acontecem nesta quarta-feira (21/06), às 9h na BB Tecnologia e às 14h30min na DATAPREV. No final do texto está o calendário das demais assembleias. À luta pelos nossos direitos, colega da TI!

 

Apesar do gigantesco mar de lama que envolve o governo, o Congresso Nacional e boa parte do judiciário, as reformas, em especial a Trabalhista, está andando rápido pelo Senado. A previsão de votação é para o final de Junho, e por este motivo as centrais sindicais, os sindicatos e movimentos sociais preparam nova GREVE GERAL para o dia 30 de Junho. Essas reformas, junto com a terceirização generalizada, já sancionada pelo Governo Temer em Março, constituem um brutal ataque aos direitos dos trabalhadores.

 

Queremos trazer para reflexão 4 questões que estão sendo debatidas nos locais de trabalho sobre a necessidade ou não de continuar a luta e a realização da GREVE GERAL em 30 de Junho. São elas:

 

1) Não vai ter reforma porque o Governo Temer está sem forças

Será que é isso mesmo o que está acontecendo?

Embora o Governo Temer esteja enlameado em tanta corrupção, o presidente segue no poder, costurando os apoios de partidos para continuar o trâmite das reformas. Na Câmara dos Deputados, ele tem o fiel escudeiro Rodrigo Maia (DEM), que na presidência da Casa aguarda o melhor momento para iniciar o trâmite da REFORMA DA PREVIDÊNCIA.

No Senado, último trâmite da REFORMA TRABALHISTA, o megaempresário Tasso Jereissati (PSDB-CE), na semana passada, comandou a aprovação do relatório final do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), favorável ao projeto de lei da Reforma Trabalhista. Nesta semana, o relatório está tramitando na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. A projeção é de que o projeto seja votado no plenário do Senado nos últimos dias de Junho e, depois, vá para sanção de Temer.

 

 

2) O que ganhamos até agora com todas as lutas que fizemos?

Se não fossem a GREVE GERAL de 28 de Abril, a Marcha a Brasília em 24 de Maio e todas demais mobilizações de Março, as reformas Trabalhista e da Previdência já estariam aprovadas. O Governo Temer queria passá-las pelo Congresso Nacional neste primeiro semestre, o que não conseguirá.

É verdade que as denúncias e escândalos liberados com as delações da Odebrecht e da JBS contribuíram, mas foi a rejeição dos trabalhadores e da população às reformas que ruiu a base de apoio do governo. Afinal, todos já estão pensando em seus votos nas eleições de 2018.

 

 

3) Se nem o TSE resolveu, o que vai adiantar as mobilizações dos trabalhadores?

O fato de o TSE ter absolvido a chapa Dilma-Temer é mais uma prova de que é na luta, com atos, greves, marchas, que os trabalhadores terão chances de virar esse jogo. A política e as negociatas acontecem nos andares de cima, mas a vida real dos trabalhadores e da população se dá aqui embaixo. São os trabalhadores que geram as riquezas desse país. E já que governos, parlamentares e empresários querem ganhar ainda mais em cima da gente, temos toda a legitimidade de lutar pelos nossos direitos. E é o que devemos fazer!

 

 

4) O fato de a GREVE GERAL ser na sexta-feira novamente, pode ter menos impacto do que em outros dias?

A decisão das centrais sindicais de marcar para o dia 30 de Junho a nova GREVE GERAL é um fato. Além disso, se a greve fosse na segunda, na terça ou qualquer outro dia da semana, os impactos em algum tipo de desconto nos salários seriam os mesmos. O fato é que fazer GREVE GERAL dá muito trabalho: piquetes nas empresas de ônibus, metrô etc., isso tudo começa nas primeiras horas da madrugada. É importante que se saiba que o esforço é muito grande e o resultado positivo será usufruido por todos os trabalhadores, por isso a importância da união para que o país pare de verdade. No dia 28 de Abril, Porto Alegre, a região metropolitana e demais áreas do estado do RS pararam completamente.

 

Por isso, colega da TI, te agenda e participa  das assembleias! Vem construir a GREVE GERAL do dia 30 de Junho!

 

 

Calendário das assembleias

Nesta semana e na próxima, teremos várias assembleias para debater e deliberar sobre a participação na GREVE GERAL. As primeiras acontecerão na QUARTA-FEIRA (21/06), às 9h na BB Tecnologia e, às 14h30min na DATAPREV.

As demais assembleias seguem abaixo (CLIQUE AQUI para ver o edital de convocação). Fique atento aos comunicados do sindicato. E participe!

21/06 (quarta-feira): às 9h na BB TECNOLOGIA
21/06 (quarta-feira): às 14h30min na DATAPREV
22/06 (quinta-feira): às 19h, na sede do Sindppd/RS, do SETOR PRIVADO
23/06 (sexta-feira): às 13h30min na PROCERGS
26/06 (segunda-feira): às 10h30min no SERPRO
26/06 (segunda-feira): às 13h30min na PROCEMPA

 

 

À luta contra as reformas Trabalhista e da Previdência!

 

Em defesa de nossos direitos!

 

 

Sindppd/RS 

 

sindppd

Ver todos os artigos de sindppd

Similar articles

A seção de comentários no site do Sindppd/RS quer incentivar o debate entre os trabalhadores de TI e o sindicato. Também é um canal de denúncias e informações. Portanto, NÃO SERÃO publicados comentários pornográficos, ofensivos a pessoas ou entidades e nem discriminatórios (racistas, homofóbicos, de gênero ou de classe); que contenham publicidade ou palavras de baixo calão; e nem comentários que façam afirmações caluniosas ou difamatórias, sem terem provas sobre o que está sendo dito. SOMENTE serão publicados comentários com endereços de emails válidos, os quais não serão divulgados.

Faça um comentário

Seu email não será publicado. *

Visite-nos

Rua Washington Luiz, 186 - Bairro Centro - Porto Alegre - RS - CEP 90010-460

Telefones do Sindppd/RS:
Geral - (0xx51) 3213-6100
Secretaria - (0xx51) 3213-6121/ 3213-6122
Tesouraria - (0xx51) 3213-6117
Guias de Contribuição - (0xx51) 3213-6105

E-mail: secretariageral@sindppd-rs.org.br